/> Presidente do partido de Bolsonaro reafirma candidatura de Rogério Marinho à presidência do Senado: ‘temos votos para ganhar a eleição’. (VÍDEO!) - Folha da Política

Breaking news

Presidente do partido de Bolsonaro reafirma candidatura de Rogério Marinho à presidência do Senado: ‘temos votos para ganhar a eleição’. (VÍDEO!)


Em vídeo divulgado pelas redes sociais, Valdemar da Costa Neto, presidente do PL, partido do ex-presidente Jair Bolsonaro, anunciou que a candidatura do senador eleito Rogério Marinho à presidência do Senado está mantida e que o partido trabalha para conseguir os votos necessários para vencer a eleição.

Após reunião com os senadores Carlos Portinho, Wellington Fagundes e Rogério Marinho, e com o Líder do PL na Câmara, deputado Altineu Côrtes, Valdemar da Costa Neto afirmou: “estamos fechados com o Rogério Marinho para valer”. Valdemar disse que pretende fechar um bloco com PP e Republicanos e conversar também com outros partidos. Ele disse: “E nós chegamos à conclusão que nós temos votos para ganhar a eleição”. O presidente do PL afirmou: “A eleição vai ser disputada e temos muita chance de ganhar. Vamos ganhar essa eleição”.

Nos últimos anos, o congresso nacional como um todo, e o senado em particular, têm mantido uma postura subserviente ao Supremo Tribunal Federal, aceitando até mesmo que leis aprovadas nas duas Casas, após amplo debate, sejam anuladas por decisões monocráticas. As Casas também não se opuseram à censura e à limitação de atividades de parlamentares no exercício do cargo, aceitando até mesmo a prisão de um deputado por crime de opinião. 

Da mesma forma, não se opuseram à censura generalizada a cidadãos, a prisões em massa e confisco de propriedades. O senado, especialmente, é responsável pelo controle dos atos de ministros das cortes superiores, e, por omissão, vem contribuindo para o esfacelamento do estado de direito e a consolidação da ditadura da toga.

A concentração de poderes nas mãos de poucos senadores vem levantando questões sobre a representatividade do Senado, já que o colegiado pode ser ignorado pela vontade de um único senador, como ocorre com os pedidos de impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal. Embora a apreciação dos pedidos seja responsabilidade do Senado Federal, os presidentes vêm impedindo qualquer apreciação pelo colegiado, empilhando os pedidos em suas gavetas.

FONTE; FOLHAPOLITICA.ORG

LEIA TAMBÉM: 








Nenhum comentário