/> Parlamentares, especialistas e cidadãos criticam medida de Lula que revogou decretos de Bolsonaro sobre CACs. (VÍDEO!) - Folha da Política

Breaking news

Parlamentares, especialistas e cidadãos criticam medida de Lula que revogou decretos de Bolsonaro sobre CACs. (VÍDEO!)


Em seu primeiro ato como presidente, Lula revogou medidas propostas pelo ex-presidente Jair Bolsonaro, diminuiu o acesso a armas e munições, e proibiu o registro de novos Colecionadores, Atiradores e Caçadores (CACs). A decisão foi lamentada por parlamentares, especialistas e cidadãos. 

A deputada federal Caroline de Toni disse: “Lula começa a colocar em prática o plano de dominação da sociedade, desarmando pessoas de bem, enquanto bandidos estão armados”.

O deputado Dr. Jaziel lembrou: “Lula revogou o decreto de ampliação de acesso à armas e munições, falando que este desencadeou insegurança e mal às famílias brasileiras. A verdade é que os governos do PT e PSDB detêm os maiores índices de homicídio da história, enquanto Bolsonaro e seu decreto o menor”.

O especialista em segurança pública Fabricio Rebelo disse: “Lula já começa sua gestão mentindo sobre armas de fogo, ao dizer que os decretos de Bolsonaro causaram "tanto mal ao país". Na verdade, os decretos se fizeram acompanhar das maiores reduções de homicídios de toda a série histórica - o que deve se reverter agora. Lula teve, ao menos, outro lampejo de honestidade ao dizer que "não quer arma na mão do povo". Para ele, só os bandidos têm esse direito. Desarmamento, perseguição a adversários e controle da informação. Não é um discurso minimamente compatível com democracia, mas típico de um regime autoritário”. Respondendo a um tweet de Lula, que dizia que os decretos de Bolsonaro haviam causado insegurança e mal à população, o especialista disse: “Mentira sua - como de hábito, aliás. Os decretos vieram acompanhados das maiores reduções nos homicídios de toda a série histórica, os únicos prejudicados foram os criminosos. Você só está ajudando a eles”.

O deputado estadual Rodrigo Lorenzoni disse: “Lula confirmou a revogação dos decretos que flexibilizaram a posse e o porte de armas. Na justificativa, a retórica vazia que opõe armas e livros, para deleite da claque esquerdista. O direto à defesa sofre duro, mas já esperado revés”.

A deputada estadual carioca Alana Passos disse: “O primeiro absurdo, espero que os Deputados Federais lutem contra isso.Em revogaço, Lula suspende novos registros de CACs e de clubes de tiro”.

O advogado Paulo Mafioletti comentou: “O descondenado líder do regime edita decreto do desarmamento dos CACs como se estes fossem o perigo a ser combatido e temido. Mas não revoga e suspende a posse de armas ilegais e clandestinas dos cupinxas, criminosos e traficantes em geral. Que coisa, não?”.

Em transmissão ao vivo, o deputado federal Coronel Tadeu apontou: “é um dos primeiros atos do novo presidente. Afinal de contas, ele está atendendo seus eleitores. Ou vocês acham que bandido quer encontrar dificuldades?”. Ele acrescentou: “O primeiro ato do presidente Lula foi atender seus eleitores mais ferrenhos: os bandidos. Isso ele conseguiu. É uma vergonha, mas é isso que nós temos para hoje”.

A deputada federal Bia Kicis disse: “Os decretos do Presidente Jair Bolsonaro se fizeram acompanhar das maiores reduções de homicídios de toda a série histórica — agora o cenário se reverterá”.

O deputado federal eleito Delegado Paulo Bilynskyj disse: “Só os criminosos terão direito a portar armas no governo lula. Se preparem, o crime vai voltar com força”. Ele acrescentou: “Quero ver o Lula assinando um Decreto retirando as armas das mãos do crime organizado. Sabe quando ele vai se esforçar pra enfraquecer o crime? NUNCA”. 

O procurador Marcelo Rocha Monteiro, coautor de livros sobre o ativismo judicial do STF, publicou uma imagem do tweet de Lula ao lado de uma notícia com a manchete “‘Exército’ dos traficantes no Rio de Janeiro já é maior que o efetivo da Polícia Militar” e apontou: “A turma na segunda imagem já está até se sentindo mais segura - e em paz!”. Ele ironizou: “Obrigado, Lula!”.

O deputado Carlos Jordy se exaltou: “Parabéns a todos que votaram no vagabundo. O decreto sobre controle de armas assinado por Lula vale para todos, menos para traficantes, latro*** e demais criminosos. Quando você for surpreendido com uma arma na cara no semáforo, faz o L e mostra o decreto assinado por ele!”.

O deputado Eduardo Bolsonaro disse: “A maior preocupação de um ditador é poder fazer o que quiser com sua população. Desarmamento não refere-se a segurança e sim a controle social. Os números escancaram isso. Por isso o desarmamento sempre precede uma ditadura ou é a 1ª coisa que faz no poder”.

O deputado federal eleito Delegado Palumbo lembrou que, na campanha, Lula visitou, sem proteção policial, o Complexo do Alemão, onde há muitas armas de calibre restrito em circulação. Ele sugeriu que a retirada das armas começasse por lá. O deputado eleito acrescentou: “A hipocrisia reinando no país”. 

O investidor Leandro Ruschel questionou: “Será que os companheiros do CPX obedecerão aos decretos de desarmamento?”.

A ditadura da toga segue firme. O Brasil tem hoje presos políticos e jornais, parlamentares e influenciadores censurados. A Folha Política tem toda sua receita gerada desde 1º de julho de 2021 confiscada por uma ‘canetada’ do ministro Luis Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com o aplauso e o respaldo dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Além disso, todas as receitas futuras do jornal obtidas por meio do Youtube estão previamente bloqueadas. Há mais de 18 meses, todos os rendimentos do jornal estão sendo retidos sem justificativa jurídica. 

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, a mando do ministro Alexandre de Moraes. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org

Nenhum comentário