Breaking news

Governos socialistas e ditaduras sul-americanos do Foro de São Paulo pedem reunião de emergência da OEA após invasão do Congresso; CHILE, VENEZUELA E COLÔMBIA JÁ DECLARARAM APOIO AO SOCIALISTA LULA



A invasão de manifestantes, que rejeitam o resultado das eleições presidenciais e querem a saída de Luis Inácio Lula da Silva, no Congresso Nacional, em Brasília, tem causado comoção em países sul-americanos aliados do presidente Lula. Gustavo Petro, presidente da Colômbia, pediu uma reunião de emergência da OEA (Organização dos Estados Americanos). “Toda minha solidariedade a Lula e ao povo do Brasil. O fascismo decide atacar. 

Os direitos não têm conseguido manter o pacto de não-violência. É hora urgente da reunião da OEA se ela quiser continuar vivendo como instituição e aplicar a carta democrática”, escreveu o político nas redes sociais. “Propusemos fortalecer o sistema interamericano de direitos humanos aplicando as normas vigentes e ampliando a carta aos direitos da mulher, ambientais e coletivos, mas a resposta são golpes parlamentares ou golpes violentos da extrema-direita”, completou. 

O presidente socialista do Chile, Gabriel Boric, também se manifestou contra as manifestações. “Ataque inapresentável aos três poderes do Estado brasileiro pelos bolsonaristas. O governo brasileiro tem todo o nosso apoio diante desse covarde e vil ataque à democracia”, disse. A Embaixada dos EUA no Brasil emitiu um alerta para que os norte-americanos evitem a área da Praça dos Três Poderes por “protesto antidemocrático violento”.




 

LEIA TAMBÉM: 













Lula assina decreto que restringe acesso a armas e munições legais e suspende registro de novos equipamentos de CACs, mas não apresenta nenhum plano para desarmar traficantes e criminosos 

Nenhum comentário