/> General, parlamentares e cidadãos se levantam contra escalada tirânica e instauração de ditadura no Brasil pelo PT e STF. (VÍDEO!) - Folha da Política

Breaking news

General, parlamentares e cidadãos se levantam contra escalada tirânica e instauração de ditadura no Brasil pelo PT e STF. (VÍDEO!)


 

Pelas redes sociais, cidadãos se manifestaram sobre o fim da liberdade e a afirmação expressa de uma ditadura no Brasil. Os cidadãos manifestaram sua preocupação e revolta com as ilegalidades observadas no processo de calar toda dissidência.

A médica Claudia Thompson, Dra. em Genética e Biologia Molecular, disse: “A situação política no Brasil é muito grave. Nada justifica restrição de direitos individuais. Todos têm direito ao devido processo legal. É obrigação do Estado garantir direitos previstos na legislação e conduzir investigação e procedimentos que dela derive de acordo com a lei. Qualquer ação coordenada do Estado que atente contra estes direitos deve ser rechaçada. Há um agravante na forma como Estado tem conduzido prisões, sem o devido enquadramento individualizado a cada réu: ações estão sendo conduzidas de forma a provocar histeria na população. A histeria tem sido provocada pelo Estado e judiciário numa verdadeira caça às bruxas que têm dado início à barbárie e queda do Estado de Direito”.

O deputado federal Marcel Van Hattem afirmou: “A preocupação com a censura no Brasil e a denúncia do rompimento institucional provocado pela Suprema Corte e, mais especificamente, pelo ministro Alexandre de Moraes, está transbordando fronteiras nacionais e ideológicas. Democratas de verdade, que defendem a liberdade e o Império da Lei, não podem ser omissos ou coniventes com os abusos que estão sendo cometidos pelo Judiciário. Basta!”.

Van Hattem também compartilhou um texto publicado pelo empresário Tallis Gomes, que afirmou:

“Faço coro com o Glenn Greenwald acerca da preocupação iminente com o futuro da nossa (quase falecida) Democracia.

A ascensão da esquerda no país veio junto com o começo do fim da Democracia e do Estado de Direito. Um homem agora decide quem pode ou não dizer o quê; e o pior, este homem é venerado por idiotas úteis que hoje comemoram e atribuem ainda mais poder ditatorial a este homem.

Vivemos tempos sombrios no Brasil, pela primeira vez na minha vida sinto receio em me posicionar; no entanto, se a nossa Constituição Federal de 1988 ainda vale alguma coisa, cito o art. 1° como minha salvaguarda e pedido a vocês: "Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição”.

Cobrem seu Deputado Federal e o seu Senador uma posição. Se posicione contra a escalada da censura no Brasil, alguém precisa conter essa Ditadura que estamos vivendo no Brasil ou em poucos meses será tarde demais”.

O perfil Freder Kamen apontou: “Aqueles que defendem Moraes por ódio à direita e o que ela representa são sinceros no seu objetivo, isto é, querem a destruição de um grupo e não ligam para os métodos. Mas aqueles que tentam racionalizar as formas adotadas são uns jumentos e portanto muito mais perigosos”.

O jurista Fabricio Rebelo disse: “O apoio da esquerda ao arbítrio, à quebra do devido processo legal, à expressa - e flagrantemente inconstitucional - censura etc., apenas porque lhe são convenientes, deixa claro que nunca defendeu democracia alguma, mas apenas uma ditadura na qual fosse ela a exercer o poder”. Rebelo acrescentou: “Ante a revogação gradual da liberdade de expressão, com a censura a quem "ousa" contestar o regime, receio ser questão de tempo para ter meus perfis silenciados, ainda que rigorosamente pautados pela estrita legalidade. Logo, sugiro a adoção de VPN para os continuar acompanhando”.

O agrônomo Xico Graziano disse: “Eu não gostei dessa paulada no Monark. Isso é censura. Alexandre de Moraes passou do limite. Até doce de leite passa do ponto no tacho. Esse negócio vai desandar”.

O empresário Otávio Fakhoury ironizou: “Segundo o Xico, só AGORA é que ele passou do limite, entenderam? Enquanto ele censurava só os opositores bolsonaristas tava tudo bem! Sacaram a lógica desses isentões?”.

O investidor Leandro Ruschel apontou: “O Greenwald está sendo brutalmente atacado pelo turba jacobina por ter exposto ao mundo a ditadura que se consolida no Brasil. Especialmente nojenta é a h*** direcionada contra ele pelos que se dizem defensores dos g**. Tirando todo o floreio, o argumento dos petistas e seus aparelhos, especialmente na imprensa, se resume à necessidade de impor uma ditadura para salvar a "democracia". A "democracia" censurou a Bárbara, o Nikolas, deputado mais votado do Brasil, e a Paula Marisa, entre vários outros influenciadores e parlamentares, ontem”.

Ruschel acrescentou: “Dirceu, duplamente condenado por corrupção. Status: solto. Lula, condenado em três instâncias por corrupção. Status: descondenado e presidente. Dona Eleonora, 74 anos, honesta. Status: presa e acusada de terror*, por protestar em frente a um quartel”.

O deputado federal eleito Delegado Palumbo afirmou: “Impedir um parlamentar de se expressar pelas redes sociais é absurdo. Não se trata sobre escolha de lado ou viés político. Hoje estão fazendo com a direita, amanhã pode ser com a esquerda. Estamos vivendo tempos difíceis, onde estão literalmente rasgando a Constituição Federal. Sou contra depredações, atos de vandalismo, invasões e cometimento de crimes. Sou contra o uso da força física para se conseguir algo, contudo, só não enxerga quem não quer, que há sim um claro e evidente ativismo judiciário, com decisões monocráticas extrapolando a lei. Onde está a harmonia entre os Poderes? Por que o CN está tão subserviente como se não fosse um poder autônomo e independente? A partir de 1 de fevereiro espero que comece uma nova história, com parlamentares corajosos e que não se “vendam” pelos pseudos encantos do poder”.

LEIA TAMBÉM: 








Helio Beltrão, comentarista da CNN e presidente do Mises Brasil, disse:

“O Glenn Greenwald, em live importantíssima no Rumble, divulgou em detalhes uma decisão do STF, sem devido processo legal, que censurou o Monark, o Nikolas, a Barbara do Te Atualizei e outros. Todos perderam suas redes sociais. O Elon Musk está se dando conta da repressão no Brasil.

A live é uma divisora de águas. A partir de agora, o mundo sabe melhor o que se passa aqui. No Brasil, a mídia tem medo de comentar sobre o regime repressivo e as perseguições “em nome da democracia”. Pessoas de bem estão caladas por medo de perseguição, com toda razão.

A maioria fica quieta. Outros, com síndrome de Estocolmo, racionalizam a censura. Outros alegam que deputados, senadores, e formadores de opinião com milhões de seguidores “merecem a censura”, passando pano para inconstitucionalidades em nome de perseguir opiniões “perigosas””.


O cineasta Josias Teófilo ironizou: “Pensaram que ia ficar só no Allan dos Santos, né?”

A jornalista Fernanda Salles apontou: “Ironia: um dos únicos a defender a liberdade dos brasileiros após a escalada autoritária meteórica dos últimos dias é um jornalista ESTRANGEIRO de esquerda, Glenn Greenwald. Esperávamos esse empenho das pessoas que prometeram lutar por nossa liberdade. Admito que fiquei surpresa!”. Ela acrescentou: “O ministro da Justiça avisou que a PF fará novas prisões de pessoas que participaram dos atos do dia 8 de janeiro em Brasília. Na ação de Moraes para banir influenciadores e parlamentares das redes sociais foram bloqueados: Paula Marisa, Bárbara do canal Te Atualizei, Nikolas Ferreira, Monark, José Medeiros e Alan Rick. Recentemente também foram censurados Constantino, Paulo Figueiredo e Fiuza”.

O deputado Carlos Jordy disse: “Tenho muitas diferenças com Glenn, inclusive já tivemos divergências públicas, mas, tenho que parabenizá-lo pela sensatez na defesa da democracia. Aqueles que alimentam o monstro da ditadura do judiciário por ser contra seu adversário terão suas mãos mordidas muito em breve”.

O advogado Cristiano Caiado afirmou: “Glenn entrevista Monark que explica não saber como se defender já que não sabe do que é acusado, em inquérito secreto, sem juiz, sem promotor. O Brasil está numa ditadura e ninguém mais está seguro em sua liberdade. O Estado escolhe quem pode se expressar e o que pode ser dito”.

O ex-senador Arthur Virgílio Neto disse: “Governar organizada e lucidamente não é o forte do atual presidente. E vejo uma malícia atrás disso tudo: o acerto de combater o vandalismo e a anarquia abrem espaço para fazer avançar um preocupante projeto autoritário”.

O cidadão Nelson Paffi apontou: “Numa ditadura, não importa se você cometeu crime. O que vale é se você está contra ou a favor. Somente isso basta para lhe prender. E será impossível recorrer, pois quem lhe envia para lá é o mesmo que julgará seu recurso. Mas os esquerdistas teimam em chamar de democracia”.

O senador Carlos Portinho comentou um post de Greenwald, antes mesmo da notícia sobre os bloqueios de perfis e canais. Portinho disse: “Até a esquerda está enxergando o óbvio. O problema é que no Brasil de hoje compreendem que os “fins justificam os meios”. E quando você alerta e denuncia os “meios” querem crer que você está atacando os “fins”. Toda a concentração de poderes, num único, é totalitária e uma ameaça à democracia”.

O músico Filipe Trielli disse: “Vários perfis censurados, inquéritos ilegais, processos secretos... e o Metrópoles acha que há "risco" de excesso. Esse pessoal só vai aprender quando a água bater na bunda deles. A imprensa brasileira - salvo as honrosas exceções- é vergonhosa. E as censuras não têm nem julgamento. É censura prévia na veia”.

A médica Nanda Ananias afirmou: “Estamos “venezuelando” mais rápido do que a própria Venezuela se “venezuelou”. Impressionante a fúria vingativa e a sede de horror que o PT nos trouxe dessa vez. Implacáveis!”

O deputado General Girão respondeu a uma “matéria” que tentava enquadrá-lo em um grupo para perseguição. Ele disse:

“Em relação ao publicado no site Intercept, um site de baixíssima reputação, até mesmo dentre os imbecilizados ideologicamente, lamentavelmente replicado por alguns sem caráter e muito menos compromissados com a verdade, nos acusando de sermos a favor da impunidade.

Não nos causa espanto, o fato da mídia esquerdista querer nos rotular e, quem sabe, servir de prova para abertura de inquéritos arbitrários contra o nosso mandato.

Somos favoráveis à aplicação rígida da lei contra quem vandalizou e depredou os Três Poderes.

Mas não posso admitir que pessoas que estavam há 70 dias acampadas pacificamente nos quartéis sejam presas sem nenhuma acusação, sem provas, sem direito de defesa e sem condições humanas de sobrevivência. Isso jamais vou admitir. Ser justo e humanista são virtudes de caráter.

Estaremos juntamente com alguns colegas Deputados e Senadores buscando a recomposição urgentemente do Regime Democrático e de Direito.

CUMPRA-SE A LEI!”.

O deputado Rodrigo Lorenzoni afirmou: “Brasil é o país em que Lula quando preso tinha suas redes sociais ativas e pessoas livres sem crimes julgados possuem as redes sociais bloqueadas”.

Nos últimos anos, até a liberdade de culto foi duramente restringida no Brasil, assim como diversas outras liberdades, em especial a liberdade de expressão, que é a base de qualquer democracia. As pessoas viram seus direitos de ir e vir, de trabalhar, de se expressar, de se informar, e de se manifestar, entre outros, serem suprimidos. Cidadãos e empresas são perseguidos em inquéritos secretos e sofrem com medidas abusivas como prisões, buscas e apreensões, censura, bloqueio de redes sociais, e até mesmo confisco de propriedade.

FONTE: FOLHAPOLITICA.ORG

Nenhum comentário