/> General, deputados de Bolsonaro e senadores reagem a prisões em massa e arbitrariedades de Alexandre de Moraes, do STF. (VÍDEO!) - Folha da Política

Breaking news

General, deputados de Bolsonaro e senadores reagem a prisões em massa e arbitrariedades de Alexandre de Moraes, do STF. (VÍDEO!)


Parlamentares e cidadãos se manifestaram, pelas redes sociais, contra as condições desumanas observadas nas prisões em massa efetuadas em Brasília, no que vem sendo comparado a um campo de concentração.

O deputado Sóstenes Cavalcante disse: “Quem SEMPRE fez manifestações com “quebra quebra” foi a ESQUERDA!! A imprensa não chamava essas manifestações esquerdistas de Atos anti democráticos. Reitero que sou contra a depredação de patrimônio público e privado, entretanto, não posso aceitar os dois pesos e duas medidas. Tomar por 90 dias um mandato adquirido pelo voto, sem NENHUM direito à defesa, é a prova do regime de exceção que o Brasil está vivendo! “PUNIÇÃO COLETIVA” não existe no arcabouço jurídico brasileiro, isso é coisa do regime Cubano!! Separem e individualizem cada manifestante e que cada um responda de acordo com arcabouço probatório! Qualquer coisa diferente disso, será assumir que o Brasil já virou Cuba!”

O deputado Luiz Lima disse: ‘Tenho uma posição clara. Uma coisa é prisão em flagrante delito de alguém que estava cometendo algum crime, outra coisa é deter mais de mil pessoas que estavam pacificamente na frente de um quartel do exército se manifestando a favor do que acreditam ser o melhor para o Brasil”.

O deputado José Medeiros afirmou: “Não pode haver cerceamento de liberdade genérica por mais de 24 horas sem lavratura de flagrante. O mundo está de cabeça para baixo no Brasil, temos uma Guantánamo em plena capital federal”.

O deputado Major Vítor Hugo disse: “A votação do decreto de intervenção no DF foi simbólica no Plenário da Câmara. Registro aqui, e o farei formalmente, meu voto CONTRÁRIO. Não foram ouvidos os conselhos da República e da Defesa, como a CF determina; a situação que motivou a excepcionalidade já cessou; e o interventor na segurança pública não é um especialista na área. Há que se ter cuidado p/ que a medida empreendida para combater algo efetivamente errado, como o vandalismo, se torne também agressivo à nossa democracia e pretexto para a esquerda subjugar sua legítima oposição. Minha posição contra os atos de violência e vandalismo de ontem já foi explicitada. O que não se pode admitir é o aproveitamento político do ocorrido por parte da esquerda. Por isso, meu voto contrário. Serenidade, paz, estratégia, determinação, inteligência e firmeza para que a direita exerça seu necessário e legítimo direito de oposição pacífica ao atual governo”.

O senador eleito General Hamilton Mourão, ex-vice-presidente no governo Bolsonaro, disse: “A detenção indiscriminada de mais de 1.200 pessoas, que hoje estão confinadas em condições precárias nas instalações da Polícia Federal em Brasília, mostra que o novo Governo, coerente com suas raízes marxistas-leninistas, age de forma amadora, desumana e ilegal. O Brasil e as pessoas detidas esperam ações rápidas dos nossos parlamentares em mandato e das verdadeiras entidades ligadas aos Direitos Humanos”.

LEIA TAMBÉM: 













O deputado Sóstenes Cavalcante se exaltou: “Parabéns ao governo e a todos que fizeram o L, conseguiram fazer um CAMPO DE CONCENTRAÇÃO, no padrão NAZ***, com idosos, crianças etc no Brasil. O que está acontecendo é a maior VIOLAÇÃO dos DIREITOS HUMANOS do presente século!!”

O deputado Osmar Terra compartilhou um print que informava sobre um óbito no campo e disse: “Se isso for confirmado é muito grave! A Câmara dos Deputados deve formar uma Comissão Externa para acompanhar a situação das mais de mil pessoas detidas”.

O deputado federal, Altineu Côrtes, presidente do PL-RJ, partido do ex-presidente Jair Bolsonaro, afirmou: “Sempre lutaremos a favor da democracia, da liberdade de expressão e do pleno exercício da manifestação popular, mas também contra ataques às instituições e ao patrimônio público”.

O senador eleito Sergio Moro disse: “O novo Governo Lula iniciou mais preocupado em reprimir protestos e a opinião divergente do que em apresentar resultados. De volta o loteamento político irrestrito de ministérios e estatais. Tudo em prol de uma misteriosa “reconstrução” sem qualquer rumo. Não é um bom começo”.

O deputado federal Carlos Sampaio afirmou: “Todos sabem da minha luta histórica contra o PT. Derrubamos Dilma sem quebrar uma lixeira sequer. Violência e depredação de patrimônio público não são aceitáveis. Não é dessa forma que vamos combater os retrocessos do Governo Lula! Lamento profundamente e condeno os excessos cometidos nessa invasão injustificável aos prédios que representam a nossa democracia”.

A jornalista Paula Schmitt disse: “Quem defende a perseguição injusta de alguém não vale nada moralmente. Mas quem defende essa perseguição injusta para benefício próprio é um esgoto em forma de pessoa, uma materialização humana da sujeira, da covardia e da fraqueza de caráter”.

O Coronel Amaro perguntou:

“Onde estão os políticos de "direita" defendendo o povo que está sendo oprimido? Onde estão as lideranças políticas se manifestando em favor da imensa maioria que saiu pacificamente para se manifestar contra um governo de canalhas? Não há ninguém pelo povo. Todos se aliaram.

O que teria acontecido ao pt se o SISTEMA tivesse se unido para derrotá-lo assim como fez contra Bolsonaro? O pt estaria destruído. Mas pq os ataques ao pt foram tão limitados no tempo? Porque o pt serve ao SISTEMA. TUDO O QUE ESTÁ ACONTECENDO É COORDENADO PELO $I$TEMA.

Conheçam a ditadura brasileira. TODOS TÊM CULPA. Os que deixaram chegar a esse ponto, os que foram lenientes, os que fugiram, os que usurparam poderes alheios, os que nos impuseram um ladrão na presidência. Aos que me perguntam o que fazer, nesse momento só posso dizer: NÃO SEI!

Não há mais nada a dizer: VERGONHA! O Brasil está sob uma cruel ditadura. Isso nunca aconteceu em nossa história.

Um governador eleito por centenas de milhares de pessoas é afastado do cargo por UM ministro escolhido por UM presidente que foi PRESO por corrupção. É isso que está acontecendo no Brasil nesse início de 2023. Primeira semana de governo do ex-condenado. Não há como dar certo!

É impressionante que as pessoas não lembrem que Temer foi preso.

O ex-condenado continua sendo uma pessoa desprovida de qualquer princípio moral. Ao mentir descaradamente em momento crítico da nação, imposto pela leniência de seu próprio caso judicial, incorre em crime de responsabilidade procedendo de modo incompatível com a honra do cargo”.


O jurista Fabricio Rebelo alertou:

“Sendo bastante franco, não adianta mais se apegar a estratégias jurídicas para coisa alguma. Posso explicar alguns pontos, mostrar o que a Constituição e as leis estabelecem, mas não existe qualquer garantia de que sejam observadas no surreal "freestyle jurídico" nacional.

Prender mais de mil pessoas, sem individualizar suas condutas e sob a vaga alegação de que "estavam junto com os vândalos" é mais que absurdo; viola a intranscendência da pena, que só pode atingir quem de algum modo pratica ou participa do ato, não quem um dia esteve c/ o autor.

O Governador do DF foi afastado do cargo sem pedido do Ministério Público - titular das ações penais -, mas por mero requerimento da AGU (representação judicial da União) e de um Senador.

Processualmente, conforme pacifica o Informativo nº 863 do STF, o afastamento demandaria autorização da Casa Legislativa para abertura de processo, recebimento da denúncia e decisão específica o determinando. A competência para tanto é do Superior Tribunal de Justiça - CF, art. 105, I, "a".

O fato de esquerdistas fecharem os olhos para suas ações violentas passadas, inclusive invasão do Congresso por grupos como o MST, para criticar os atos de ontem não faz destes corretos ou justificados. Isso apenas demonstra a falta de caráter daqueles, mas isso não é novidade.

Os atos depredatórios de ontem são totalmente reprováveis e precisam ser punidos, são fatos incontestáveis. Porém, os métodos de investigação determinados trazem absurdas violações a direitos e garantias fundamentais, típicas de um estado de exceção; uma inquisição maquiavélica.

É curioso ver serem aplaudidos por ditos garantistas e defensores de prerrogativas processuais, pois por muito menos eles buscam - e conseguem - a anulação de processos contra seus clientes, invalidando as provas obtidas. Um grande duplo padrão”.

O procurador Felipe Gimenez disse: “A prisão e tort***, sem flagrante delito nem fundamento legal, dirigida por Moraes e Lula, no campo de concentração da PF, contra cidadãos exercendo direito de manifestação, entre eles muitos vulneráveis, justifica o imediato impeachment de ambos no retorno dos congressistas”.

O ativista Marcelo Guillay apontou: “Imagine 1200 bandidos dos morros do RJ presos em um galpão sem água, sem comida e sem acesso às necessidades básicas. O mundo já tinha caído e os Direitos Humanos já teriam entrado em ação. Essa é a realidade do Brasil”.


O deputado estadual Rodrigo Lorenzoni disse:

“Os relatos e imagens que chegam do ginásio no qual os manifestantes estão detidos em Brasília não podem ser recebidas com naturalidade. Idosos, mulheres com filhos expostos a condições precárias. É importante deixar claro que nem todo manifestante é terr** ou praticou atos antidemocráticos. Essa diferenciação precisa ser feita em nome da sobrevivência da democracia. Os que praticaram atos de vandalismo e violência precisam ser identificados e processados. 

O que não pode ser aceito é o aparelho estatal não praticar essa diferenciação e punir cidadãos inocentes. Vivemos, ou deveríamos estar vivendo, em um estado democrático de direito e as garantias constitucionais e processuais devem ser respeitadas. O uso da força demasiada e do atropelo dos ritos jurídicos sob o manto de defesa da democracia na verdade agride o processo democrático. 

O momento requer firmeza e lucidez. Ideologizar o uso da defesa da democracia é tão grave quanto os atos violentos. Aqueles que executam atos violentos contra o patrimônio público, praticam vandalismo, extrapolam suas funções constitucionais com truculência, afrontam com suas decisões os direitos fundamentais e cerceiam a liberdade dos brasileiros precisam ser identificados e processados na forma da lei. Todos. Sem exceção. Somente assim estaremos realmente defendendo nossa Democracia”.

Muitos brasileiros estão vivendo sob o jugo de uma ditadura, em que seus direitos e garantias fundamentais estão sendo desrespeitados. O país tem presos políticos e pessoas, jornais e sites censurados. A totalidade da renda da Folha Política, e também de outros canais e sites conservadores, está sendo confiscada a mando do ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, em uma decisão que recebeu o respaldo dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes. Há mais de 18 meses, os rendimentos de jornais, canais e sites conservadores são retidos sem previsão legal.

Se você apoia o trabalho da Folha Política, que há 10 anos mostra os fatos da política brasileira, e pode ajudar o jornal a permanecer em funcionamento, doe qualquer valor através do Pix, usando o QR Code que aparece na tela ou o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política vem mostrando para você os fatos da política brasileira, fazendo a cobertura dos três poderes, e dando voz a pessoas que o cartel midiático quer calar. Pix: ajude@folhapolitica.org

FONTE: www.folhapolitica.org

Nenhum comentário