/> Pedro Castillo presidente socialista do Peru é destituído após tentar dissolver o Congresso para aplicar golpe de Estado - Folha da Política

Breaking news

Pedro Castillo presidente socialista do Peru é destituído após tentar dissolver o Congresso para aplicar golpe de Estado


Com a decisão, vice-presidente, Dina Boluarte, deve assumir o cargo; líder peruano tinha anunciado a formação de um ‘governo de emergência excepcional’

Os congressistas peruanos agiram rápido diante do anúncio de Pedro Castillo no Peru, que dissolveu o Congresso nesta quarta-feira, 7, e destituíram por 101 votos a favor, seis contra e 11 abstenções, o líder do poder por ‘incapacidade moral’ após uma tentativa de golpe de Estado ao anunciar a dispensa do Legislativo e a formação de um “governo de emergência excepcional” no país. 

Com a decisão do Congresso, a vice-presidente, Dina Boluarte, foi convocada para assumir o cargo. Ela passará a ser a primeira mulher a assumir o cargo. “Esta decisão configura um golpe de Estado e se afasta de todos os marcos constitucionais”, declarou a legisladora esquerdista Ruth Luque, cujo grupo vinha apoiando a permanência de Castillo no poder, sobre a decisão do ex-presidente. 

Um parlamentar acrescentou que a decisão “é claramente um golpe ao estilo de 1992”, referindo-se ao “autogolpe” perpetrado pelo então presidente Alberto Fujimori (1990-2000), que também dissolveu o Congresso. “Claro que é um golpe de Estado, Castillo foi tremendo, sabia que ia ser destituído e estava na frente. 

Espero que as Forças Armadas se manifestem contra o golpe de Estado, ele não pode fechar o Congresso”, enfatizou o deputado de direita José Cueto, do ultraconservador Partido da Renovação Popular e ex-comandante das Forças Armadas, afirmou que “claro que é um golpe” e que as Forças Armadas “apoiam o Congresso”. Os legisladores enfatizaram ainda que o clima segue tranquilo no país e que não há qualquer movimentação das Forças Armadas, razão pela qual consideraram que o governante em breve “será mandado para a prisão”.

*Com informações da EFE


Nenhum comentário