Breaking news

Presidente da gigante Farmacêutica Espanhola é Acusado de Suborno Para Obter Certificado Fraudulento de Vacinação Contra Covid



por angelica ca e paulo eneas

Uma investigação conduzida pela polícia espanhola, denominada Operação Jenner, descobriu uma vasta rede de celebridades e figuras da elites que pagaram suborno para que seus nomes fossem incluídos fraudulentamente no Registro Nacional de Imunizações da Espanha, sem que estas pessoas tivessem sido vacinados.

Entre os fraudadores do registro de imunização está José María Fernández Sousa-Faro, presidente da gigante farmacêutica europeia PharmaMar, fundada há 36 anos. O presidente da gigante farmacêutica está entre os mais de 2.200 nomes da lista elaborada pela Polícia Nacional da Espanha que se encontram falsamente vacinados contra coronavírus.

A informação sobre a fraude veio a público pelo jornal El Periódico de España, citando fontes internas da própria polícia espanhola. A lista de fraudadores inclui nomes como o artista Omar Montes e o tenista australiano Álex de Miñaur. Os nomes foram enviados à justiça espanhola.

 LEIA TAMBÉM:

Em fevereiro deste ano, o periódico Euro Weekly havia informado que uma conhecia atriz espanhola, Verónica Echegui, estava sendo investigada por comprar um certificado ou passaporte fraudulento de vacinação contra o coronavírus.

A compra teria sido feita junto a uma quadrilha de criminosos cujas operações de venda de passaportes vacinais fraudulentos tiveram início em setembro de 2021 e que permaneceu ativa até janeiro de 2022. O crime teria sido descoberto pela investigação conduzida pela polícia na chamada deep web.

A quadrilha teria se infiltrado no Sistema Nacional de Saúde da Espanha e teria usado uma enfermeira estagiária e uma auxiliar de enfermagem para fazer a inserção fraudulenta de pessoas no Registro Nacional de Vacinação. Ambas foram presas pela polícia espanhola juntamente com outras duas pessoas envolvidas.

A enfermeira a assistente faziam a inserção de dados no sistema para permitir a emissão de certificados de vacinação, que eram “verdadeiros” para todos os efeitos, ainda que as pessoas detentoras destes certificados não tivessem sido vacinadas. A fraude era feita por meio de pagamento de suborno por parte das pessoas interessadas.

A investigação foi conduzida em toda a Europa e recebeu o nome de Operação Jenner, em homenagem a Edward Jenner, médico e cientista inglês que desenvolveu a primeira vacina e é considerado o pai da imunologia. Fonte: El Mundo | The Expose | Euro Weekly.

FONTE: CRITICANACIONAL.COM.BR

Um comentário:

  1. Se ele, que é presidente de uma farmacêutica gigante, não quer se vacinar, é porque as vacinas, além de não serem eficazes, podem deixar sequelas que levem a pessoa à morte.

    ResponderExcluir

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();