Breaking news

Ricardo Lewandowski do STF é cotado para ministro da Justiça de Lula, caso vença as eleições


Advogados próximos ao PT e dirigentes da sigla afirmam que magistrado só não assumirá cargo se não quiser

Com aposentadoria marcada para maio de 2023, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, pode não encerrar de todo a sua carreira após pendurar a toga. Segundo advogados próximos ao Partido dos Trabalhadores e dirigentes da legenda ouvidos pelo colunista Guilherme Amado, do portal Metrópoles, o magistrado é cotado ao cargo de ministro da Justiça em um eventual governo Lula (PT) e só não assumirá o posto se não quiser.

A estratégia é que Lewandowski pudesse ajudar Lula em sua interação com o poder Judiciário, com quem o petista quer manter boas relações. Ainda que o ministro decline da ideia, as fontes afirmam que Lula o consultaria sobre a escolha de seu sucessor no Supremo.

Caberá ao próximo presidente indicar mais dois nomes ao STF, um para assumir a cadeira de Lewandowski e outro para suceder a ministra Rosa Weber, que deixa a Corte em outubro de 2023.

Vale lembrar que Lewandowski ingressou na Corte por indicação do ex-presidente Lula, em 2006. O petista teria tomado conhecimento do nome de Lewandowski por intermédio de Márcio Thomaz Bastos, ministro da Justiça na época. Além dele, outra relação teria ajudado a dar destaque ao seu nome, dentre outros 11 nomes: a primeira-dama. Marisa Silva era amiga da família Lewandowski e deu apoio à indicação. Pessoas próximas a Lula disseram que a amizade até havia ajudado, mas não fora decisiva. Lewandowski tomou posse como ministro do Supremo em 16 de março de 2006.

LEIA TAMBÉM: 

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();