Breaking news

Major do Exército é preso após manisfestar apoio a Bolsonaro nas redes sociais



Defesa do major João Paulo Alves afirma que manifestações a favor do presidente irritaram o Comando Militar do Nordeste

O major João Paulo da Costa Araújo Alves, do Exército Brasileiro, está preso desde a última semana em Teresina, Piauí, por, segundo sua defesa, fazer manifestações de apoio ao presidente Jair Bolsonaro. Atualmente, o oficial está detido no 25° Batalhão de Caçadores, que fica na capital do estado, depois de o Exército cumprir um mandado de prisão preventiva por desobediência.

O advogado do militar, Otoniel d’Oliveira Chagas Bisneto, disse que o inquérito que resultou na prisão do major foi aberto após comandos dos batalhões militares de Teresina publicarem “uma portaria, transformando em ordem, uma recomendação da Procuradoria de Justiça Militar da 10ª Circunscrição Judiciária Militar”.

– [As recomendações da Procuradoria] eram orientações, que a portaria do Exército daqui [Piauí] transformou em ordem. E pelo major participar de atos cívico-militares, ser apoiador do presidente da República, está em fase de pré-campanha, que não há nada que o impeça de fazer por ser cidadão brasileiro, irritou o Comando Militar do Nordeste – afirmou o defensor.

De acordo com a defesa do major João Paulo, a prisão é “uma decisão mais política que de cunho efetivamente disciplinar”. Os defensores ressaltaram que as manifestações pró-Bolsonaro estariam sendo feitas nas redes sociais do militar. Os advogados Luiz Alberto Ferreira Júnior e Otoniel Bisneto disseram que vão recorrer da prisão ao Superior Tribunal Militar.

LEIA TAMBÉM:

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();