Breaking news

Senador Girão convoca senadores a reagirem ao STF: ‘Nunca vi uma Corte com tanto ativismo judicial e militância político-ideológica’; ASSISTA O VÍDEO!



Durante sessão do plenário do Senado, o senador Eduardo Girão reiterou seu pedido para que a Casa se digne a votar seu requerimento que convida o ministro Alexandre de Moraes a prestar esclarecimentos sobre os inquéritos políticos que conduz no Supremo Tribunal Federal. O senador lembrou a responsabilidade dos parlamentares de representar os cidadãos e defender os direitos e a liberdade dos brasileiros.

O senador alertou: “E eu nunca vi – eu tenho 49 anos, Senador Diego, vou fazer 50 neste ano –, eu nunca vi na história, desde que eu me entendo por gente, uma Corte brasileira com tanto ativismo judicial e militância político-ideológica”. Eduardo Girão apresentou uma lista de exemplos de comportamentos inapropriados de ministros do Supremo Tribunal Federal e apontou: “Isso explica o número recorde de pedidos de impeachment de Ministros, que somam 58 desde 2019, quando eu entrei aqui, sendo dois deles de minha autoria” . O senador lembrou que a Casa permanece omissa e não cumpre seu papel constitucional.

LEIA TAMBÉM:

Eduardo Girão alertou que, enquanto o Senado se omite, os ministros do Supremo seguem em uma escalada autoritária, e que já há uma crise instalada após o julgamento do deputado Daniel Silveira. Ele afirmou: “depois do julgamento arbitrário do Supremo Tribunal Federal na semana passada, condenando o Deputado Federal Daniel Silveira a mais de oito anos de prisão por crime de opinião e da decisão do Presidente da República totalmente amparada pela Constituição em conceder a graça através de indulto, a relação entre os Poderes está estremecida e pode resultar num perigoso impasse institucional”. O senador avisou: “está nas mãos das Sras. e dos Srs. Senadores da República assumirem o importante papel de pacificação do Brasil. Não cabe mais nenhuma omissão”.

O requerimento do senador Eduardo Girão, embora tenha 34 assinaturas, aguarda há semanas que o presidente da Casa, Rodrigo Pacheco, se digne a colocá-lo em votação para que os senadores decidam se o aprovam ou não.

A concentração de poderes nas mãos de poucos senadores vem levantando questões sobre a representatividade do Senado, já que o colegiado pode ser ignorado pela vontade de um único senador, como está ocorrendo com o requerimento do senador Eduardo Girão e como ocorre com os pedidos de impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal. Embora a apreciação dos pedidos seja responsabilidade do Senado Federal, os presidentes vêm impedindo qualquer apreciação pelo colegiado, empilhando os pedidos em suas gavetas.


2 comentários:

  1. Não posso comentar. Se o STF manda prender um deputado, eu um cidadão comum, certamente, vão me condenar a pena de morte.

    ResponderExcluir

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();