Breaking news

Deputada Caroline de Toni convoca Congresso a não se acovardar diante do STF: ‘não podemos chancelar decisões inconstitucionais e ilegais’


A deputada Caroline de Toni subiu à tribuna da Câmara dos Deputados para relembrar aos colegas a responsabilidade de zelar pelo cumprimento da Constituição brasileira. A deputada disse: “Sras. e Srs. Deputados, quando eu olho a nossa Constituição Federal, a qual todos nós juramos respeitar, eu leio expressões muito bonitas, como "Estado Democrático de Direito"; eu leio que nós vivemos numa sociedade democrática, em que cada um de nós tem as suas liberdades individuais. Dentre as liberdades individuais que temos está o direito à livre expressão do pensamento”.

A deputada comparou as previsões da Constituição com o que vem ocorrendo na realidade. Ela analisou a situação do deputado Daniel Silveira, alvo de atos arbitrários do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal. A deputada alertou que os excessos só se acumulam com a omissão do Parlamento. Caroline de Toni disse: “Esse novo capítulo na situação do Daniel Silveira só ocorreu porque não estamos tendo o devido respeito em relação à Constituição Federal. O artigo 53 da Constituição, que dispõe que os Deputados são invioláveis nas suas opiniões, palavras e votos. Isso significa que o discurso de um Parlamentar está como que envolvido por uma redoma de inviolabilidade”.

Nesta toada, a parlamentar salientou como as violações aos direitos de Daniel Silveira constituem uma ameaça à liberdade de todos: “Quando a gente vem a esta tribuna defender que seja pautada e colocada para a soberania do Plenário essa decisão, a gente não está defendendo necessariamente o Daniel Silveira, a gente está defendendo o direito de liberdade de expressão de todo cidadão brasileiro, porque, se fazem isso com um Parlamentar, que, em tese, tem inviolabilidade, o que não farão com o cidadão comum quando este se pronunciar e exercer a sua liberdade de expressão? É muito grave o que acontece no Brasil hoje. Por isso, nós não podemos nos acovardar. Nós não podemos chancelar essas decisões inconstitucionais e ilegais provindas dessa ascensão autoritária do Supremo Tribunal Federal”.

Outrossim, ao congratular o senador Lasier Martins por defender o impeachment de Alexandre de Moraes, a congressista frisou a omissão de senadores diante de graves afrontas à Constituição Federal, além de destacar a ascensão autoritária do STF: “Eu quero registrar que ontem o Senador Lasier Martins, que representa o povo brasileiro, falou no Senado Federal que está na hora de pautar os pedidos de impeachment do Alexandre de Moraes, porque a Constituição Federal prevê o órgão para limitar o excesso de poder de um dos Poderes, no caso, o Supremo Tribunal Federal, e atribui essa competência ao Senado. E os Senadores estão sendo omissos, enquanto a Constituição Brasileira é rasgada. Cadê os Senadores da República, que não fazem cumprir a Constituição e não pautam esses pedidos, diante dos excessos, tendo sido rasgados o devido processo legal, o sistema acusatório e todos os direitos individuais, o Estado de Direito, por todas essas atitudes nessa ascensão autoritária, especialmente do Ministro Alexandre de Moraes? Está na hora de o Poder Legislativo fazer valer a representação popular”.

 

FONTE: FOLHAPOLITICA.ORG

3 comentários:

  1. Até que enfim apareceu alguém para se manifestar!

    ResponderExcluir
  2. Até que enfim alguém se manifestou. Vamos dar andamento no pedido de impeachment do Alexandre de Moraes. O Presidente do Senado não pode engavetar nove pedidos.

    ResponderExcluir
  3. Que espera o mineiro presidente do Senado Federal para acolher pelo menos um dos pedidos de impeachment do ministro autoritário Alexandre de Morais? Os E
    estados brasileiros (que o Senado representa por seus 81 senadores) aguardam que o presidente do Senado cumpra seu dever. Os brasileiros representados pelos deputados federais aguardam pronunciamentos contundentes sobre as atitudes inconstitucionais e criminosas do ministro Alexandre de Morais, que parece estar vivendo num tribunal de barbárie.

    ResponderExcluir

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();