Daniel Silveira é proibido de acompanhar seu próprio julgamento no STF


Ele chegou com o deputado Eduardo Bolsonaro, mas resolução da Corte proíbe a presença de público em razão da pandemia de Covid

O deputado federal Daniel Silveira chegou ao STF (Supremo Tribunal Federal) às 14h desta quarta-feira (20) para acompanhar o julgamento do seu caso no plenário da Corte. A entrada dele, no entanto, foi vetada em razão de uma resolução que proíbe a presença de público na área do plenário do Supremo devido à Covid-19. O advogado do parlamentar está autorizado, por ser parte no julgamento.

A proibição de público no plenário do STF está prevista na Resolução 764 da Corte. O presidente do Supremo, ministro Luiz Fux, decidiu manter a regra mesmo com a flexibilização das medidas contra a pandemia no Distrito Federal e no país.

Uma televisão foi instalada no Salão Branco do Supremo para o caso de o deputado e de colegas parlamentares desejarem assistir à sessão dentro da Corte. Apenas ministros, advogados, procuradores, colaboradores e servidores acompanham a sessão no plenário.

Eduardo Bolsonaro se pronunciou em suas redes sociais sobre a proibição.

 LEIA TAMBÉM:

 

Um comentário:

  1. Isso é mais que uma democradura e não lei. Onde já se viu, um réu não ter direito de presenciar o seu julgamento, só mesmo o STF do Brasil que não queremos.

    ResponderExcluir

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();