Braço direito de Fernandinho Beira-Mar é assassinado na Grande BH


Roni Peixoto, um dos maiores traficantes de Minas Gerais, foi morto a tiros em Santa Luzia na manhã desta segunda-feira (11)

Um dos maiores traficantes de Minas Gerais, Roni Peixoto, de 51 anos, foi morto a tiros, no começo da manhã desta segunda-feira (11), em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Militar, ele estava dentro de um carro na avenida Engenheiro Felipe Gabrich quando foi abordado e baleado.

Ainda segundo os militares, por volta das 6h Roni foi cercado por atiradores no momento em que chegava em casa, no bairro Santa Matilde. Pelo menos oito marcas de tiro foram encontradas no veículo, um modelo Gol de cor preta. A Polícia Civil está no local para a perícia.

Roni Peixoto era considerado pela Segurança Pública o braço direito de Fernandinho Beira-Mar e líder do tráfico de drogas na Pedreira Prado Lopes, em Belo Horizonte. Ele é apontado como o introdutor do crack na capital mineira e ocupou as páginas policiais e inquéritos da polícia nas décadas de 1990 e 2000. Atualmente, ele dizia que havia trocado o tráfico pela igreja.

Em 2019, um alvará de soltura foi expedido pela Vara de Execuções Penais em Ribeirão das Neves, na Grande BH, que permitia que o criminoso terminasse de cumprir sua pena em regime semiaberto.

Roni Peixoto ficou preso na penitenciária José Maria Alkimim, em Ribeirão das Neves, e cumpriu, em regime fechado, 24 anos e seis meses, mais do que os dois terços previstos para a progressão de pena, segundo a Lei de Execuções Penais. A pena total dele era de 35 anos, somando todas as condenações.

LEIA TAMBÉM:

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();