Bolsonaro explica graça a Daniel Silveira: ‘houve excesso do STF e cabia a mim desfazer essa injustiça’


Em entrevista que concedeu a uma rádio do estado do Mato Grosso, e transmitida por suas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro respondeu a uma pergunta sobre o decreto presidencial que concedeu graça ao deputado Daniel Silveira.

O presidente explicou que o indulto e a graça estão previstos na Constituição, e a graça é “algo privativo do presidente da república quando acontece injustiça, excesso, ou por questão humanitária”. O presidente disse: “Não se discute que houve um excesso por parte do STF”. Bolsonaro lembrou que trata-se de um deputado federal eleito pela população, no exercício do cargo, e disse: “Um deputado federal, por mais que ele tenha falado coisas absurdas, a pena não pode ser 8 anos e 9 meses de cadeia em regime fechado; perda de mandato; inelegibilidade; e multa. Houve um excesso. Então, caberia a mim, e só a mim e mais ninguém, aqui no Brasil, desfazer essa injustiça”.

O presidente apontou que, de 11 ministros, “9 foram pela condenação, dessa forma bastante drástica”, e apenas o ministro Kássio Nunes Marques absolveu o deputado. O voto de André Mendonça, segundo o presidente, “seria uma alternativa para uma punição menos injusta”. Bolsonaro disse: “Para corrigir essa injustiça, nós, aqui, assinamos a graça, o indulto”.

LEIA TAMBÉM:

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();