Breaking news

Ex-procurador da Lava Jato processa a CNN por fake news


Falas de Diogo Castor de Mattos teriam sido distorcidas em reportagem

O procurador da República Diogo Castor de Mattos, que atuou na Operação Lava Jato, está processando a CNN Brasil por fake news. Ele afirma que a emissora agiu “de forma irresponsável” em uma reportagem que o envolvia diretamente.

De acordo com o Notícias da TV, o processo foi aberto em outubro de 2021 e segue em andamento no Tribunal de Justiça do Paraná, no 6º Juizado Especial Cível e Criminal. O caso está na primeira instância, ainda não foi julgado, e Mattos pediu uma indenização do canal de notícias por danos morais.

Em fevereiro de 2021, a CNN teve acesso a um pacote de mensagens dos integrantes da Lava Jato, que foram levadas ao STF pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A emissora divulgou trechos das mensagens, indicando que os procuradores queriam investigar ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

– O então coordenador da força-tarefa, Deltan Dallagnol, sugere pedir à Receita Federal “uma análise patrimonial” dos ministros que integram as turmas criminais do STJ […] O procurador Diogo Castor de Mattos diz, então, acreditar que o ministro Felix Fischer, o relator da Lava Jato no STJ, não estaria envolvido em irregularidades. “Felix Fischer eu duvido. É um cara sério”, escreve – disse a analista Thais Arbex na reportagem.

De acordo com Mattos, sua fala foi deturpada, sendo publicada de outra maneira na época, dando a entender que Felix Fischer era “o único” que não estaria envolvido, e não apenas que ele “é um cara sério”, como consta na versão atual do texto no site da emissora.

Os integrantes do MPF classificaram o material publicado pelo canal como “absoluta deturpação interpretativa”.

– Na reportagem, constou originalmente a afirmação de que “o procurador Diogo Castor diz acreditar que o único ministro que não estaria envolvido em irregularidades seria Felix Fischer” – aponta o documento.

A assessoria da Procuradoria da República no Paraná enviou uma nota ao site Notícias da TV, no qual Mattos reitera que a CNN fez afirmações falsas. Confira:

O jornal [CNN Brasil] afirmou falsamente que o membro do MP teria falado que o Ministro Felix Fischer era o único não envolvido em corrupção no STJ. A falsidade da informação era flagrante, sendo impossível extraí-la mesmo da fonte ilícita usada pelo jornal, além de ter sido reconhecida pelo próprio veículo de imprensa que, após ter sido instigado a fazê-lo, corrigiu a informação. A tramitação da apuração foi suspensa pelo STF por ilegalidades na instauração, sendo que ao final, o próprio responsável pela instauração do procedimento no STJ arquivou o inquérito pela ausência de indícios mínimos de irregularidades na atuação do procurador e de seus colegas, o que só reforça que houve abuso na publicação da informação pela CNN, que atuou de forma irresponsável. O procurador salienta que é favorável à liberdade de imprensa e que esse é o único processo que moveu contra um jornal, sendo que isso ocorreu exclusivamente pelo manifesto abuso na veiculação – diz a nota.

A CNN Brasil, por sua vez, afirmou que “não comenta processos em andamento”.

LEIA TAMBÉM:



Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();