SP: Doria não usou verba para evitar enchentes


Segundo levantamento, os valores aplicados na área ficaram abaixo da verba disponibilizada no orçamento

Os investimentos do governo de São Paulo para prevenir enchentes no Estado ficaram abaixo da previsão feita pelo próprio executivo durante 11 anos.

Em três anos — 2015, 2016 e 2019, quando o Estado era governado por Geraldo Alckmin e João Doria, respectivamente —, o valor executado, ou seja, aquele efetivamente utilizado pelo governo, foi inferior à metade da verba aprovada pela Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp).

Os anos com os cortes mais expressivos foram 2015 e 2016, período em que o país registrou uma profunda recessão econômica.

Em 2015, por exemplo, o Estado de São Paulo executou R$ 282 milhões nessa área ante R$ 640 milhões aprovados pela Lei Orçamentária. No ano seguinte, o corte foi ainda maior: R$ 260 milhões investidos ante R$ 873 milhões aprovados.

Em 2019, primeiro ano da gestão João Doria (PSDB), mais uma vez, menos da metade do orçamento aprovado foi executado: R$ 302 milhões ante R$ 760 milhões aprovados.

O levantamento foi feito pela GloboNews com base na Execução Orçamentária, disponibilizada pela Secretaria Estadual da Fazenda e Planejamento.

LEIA TAMBÉM:

Em 2021, valor ficou abaixo do orçamento aprovado

No último ano, o governo de João Doria fez o maior aporte para a área de Infraestrutura Hídrica e Combate a Enchentes de toda a série histórica. O valor recorde foi de R$ 958,1 milhões. Mesmo assim, abaixo do R$ 1,1 bilhão aprovado pela Alesp para essa área.


O que diz o governo

O governo do Estado informou por meio de nota que “a análise exclusiva sobre a rubrica ‘Infraestrutura Hídrica e combate às enchentes’ não reflete o investimento total feito para diminuir o impacto das chuvas”.

“Há outras fontes de investimento como o repasse de recursos para compra de equipamentos feitos pela Defesa Civil do Estado”, afirmou. O governo paulista garantiu também que “aumentou em 33% a execução orçamentária para combate às enchentes em relação a 2019”.


Chuvas deixam 24 mortos no Estado

O número de mortos por causa das fortes chuvas que atingiram São Paulo no fim de semana chegou a 24, segundo o último levantamento feito pelo governo. Entre os mortos estão oito crianças.

Uma das cidades mais afetadas foi Franco da Rocha, na região metropolitana de São Paulo. Só na cidade, oito pessoas morreram em um deslizamento de terra no Parque Paulista. Os bombeiros continuam no local para tentar localizar dez pessoas desaparecidas.

Os temporais também causaram deslizamentos de terra, transbordamento de rios e alagamentos. Segundo a Defesa Civil, 27 municípios paulistas foram atingidos pelas chuvas. Mais de 1,5 mil pessoas estão desalojadas ou desabrigadas no Estado.



Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();