Breaking news

Kim Kataguiri defende o nazismo e diz que criminalização foi um erro



Deputado deu declarações durante participação no Flow Podcast

O deputado Kim Kataguiri (Podemos-SP) participou do polêmico episódio do podcast Flow, que catapultou o tema nazismo para as redes sociais nesta terça-feira (8), culminando na demissão do apresentador Monark. O parlamentar disse que acha um erro a criminalização do nazismo na Alemanha, no episódio exibido na noite desta segunda-feira (7).

Ao discorrer sobre discriminação contra minorias, o deputado citou o exemplo do nazismo dizendo que, em vez de ser criminalizada, a ideologia deveria ser “rechaçada pela sociedade”.

– Qual é a melhor maneira de impedir que um discurso mate pessoas e que um grupo étnico racial morra? É criminalizar? Ou é deixar que a sociedade tenha uma rejeição social? – questionou Kataguiri.

Também presente no debate, a deputada Tabata Amaral (PSB-SP) perguntou ao deputado se ele concorda com a criminalização do nazismo na Alemanha e ele afirmou que não.

– Liberdade de expressão termina onde a sua expressão coloca a vida do outro em risco. O nazismo é contra a população judaica. Isso coloca uma população inteira em risco – retrucou Tabata.

– O que eu defendo é que, por mais absurdo, idiota, antidemocrático, bizarro, tosco que [seja] o [que o] sujeito defenda, isso não deve ser crime. Por quê? Porque a melhor maneira de você reprimir uma ideia antidemocrática, tosca, bizarra, discriminatória é você dando luz àquela ideia, para que aquela ideia seja rechaçada socialmente e, então, [seja] socialmente rejeitada – argumentou Kataguiri, que acabou sendo criticado nas redes sociais, além do anfitrião do programa.

LEIA TAMBÉM:


Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();