Apenas 12 países autoritários e ditaduras censuram aplicativo de mensagens Telegram


Ameaças do Tribunal Superior Eleitoral ao Telegram, se concretizadas, vão inscrever o Brasil entre os países autoritários de esquerda, como China e Cuba, e de direita, como Irã e Rússia, que adotaram medidas de censura e controle contra o aplicativo de mensagens. São 12 países que tentaram impor “regras” ao Telegram, que não lhes deu confiança. Na Rússia, onde nasceu seu criador, Pavel Durov, o Telegram foi banido por não dedurar seus usuários à FSB, ex-KGB. Depois voltou a funcionar.


Protestos proibidos

Em todos os casos, o Telegram foi punido por decisão de regimes alvos de protestos, como aconteceu em Hong Kong, por exemplo.

Motivação política

O Telegram foi usado por manifestantes durante os protestos de 2020/21 na Bielorrússia, considerada a última ditadura europeia. Foi banido.


Partido proibiu

Em Cuba, em 2021, a história é a mesma. O governo comunista da ilha proibiu o funcionamento do Telegram após os protestos de 2021.


Acabou cedo

Na China o Telegram foi banido em 2015, quando o Partido Comunista descobriu ser alvo de críticas de grupos de ativistas humanitários.

LEIA TAMBÉM:

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();