TSE estuda banir aplicativo TELEGRAM nas eleições 2022, aplicativo foi banido em ditaduras como China, Irã e Cuba


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pode banir o aplicativo de mensagens Telegram do Brasil durante as eleições deste ano, segundo o jornal Valor Econômico.

O Telegram entrou na mira do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e uma das primeiras agendas do presidente do órgão, Luiz Roberto Barroso, na volta do recesso é se reunir com os demais ministros da corte, entre os quais Luiz Edson Fachin e Alexandre de Moraes, para discutir ações sobre o uso do aplicativo durante as eleições deste ano. 

O objetivo da Corte, presidida atualmente pelo ministro Luís Roberto Barroso, seria diminuir a disseminação de fake news no aplicativo.

Barroso está há mais de um mês tentando contatar representantes do mensageiro — que não possui escritório no Brasil.

O ministro teria a intenção de estudar possíveis ações de combate às informações falsas, com o intuito de garantir mais segurança ao processo eleitoral. O ministro, no entanto, não obteve resposta.

Até o momento, o TSE encaminhou dois e-mails e um documento físico à sede da empresa, localizada nos Emirados Árabes. Nos registros dos Correios, porém, conta que as quatro tentativas de entrega foram negativas.

A expectativa agora é que o ministro reúna a Corte para decidir quais serão as providências em relação ao aplicativo.

LEIA TAMBÉM:

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();