Sob gestão Biden, inflação tem a maior alta dos EUA dos últimos 40 anos


Relatório preocupou as autoridades econômicas americanas

Dados divulgados nesta quarta-feira (12) revelaram que, em dezembro de 2021, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) nos Estados Unidos subiu 7% em relação ao mesmo período do ano anterior (0,5% em relação ao mês anterior), representando a maior alta desde 1982. Os dados são de um relatório do Departamento do Trabalho dos EUA.

O aumento intensificou a preocupação do Federal Reserve (Fed) sobre a economia norte-americana. O sistema de bancos centrais dos Estados Unidos pode chegar ao ponto de realizar quatro altas de juros em 2022.

Um terço desse índice corresponde apenas a gastos relacionados à moradia, como água, energia e condomínio. Os valores referentes ao setor tiveram uma alta de 4,1% no ano (0,4% no mês). Valores relacionados à compra e à manutenção de automóveis também se destacaram no relatório.

De acordo com os dados, o preço da gasolina avançou 49,6% no ano (0,4% no mês). Além disso, o preço dos carros novos subiu 11,8% no ano (1% no mês), enquanto os carros usados ficaram 37,3% mais caros (3,5% no mês).

A economia dos Estados Unidos vive um período delicado. No mês de novembro, o país registrou a maior alta anual na inflação desde 1991.

Após a divulgação dos dados, o presidente americano, Joe Biden, disse que “este relatório ressalta que ainda temos mais trabalho a fazer”, mas ressaltou que “a inflação é um desafio global, aparecendo em praticamente todas as nações desenvolvidas à medida que emerge da crise econômica pandêmica”

– Os Estados Unidos têm a sorte de ter uma das economias que mais crescem – encerrou o presidente.

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();