Bolsonaro discursa em motociata: ‘Nós sabemos o que a esquerda produz. Produz desgraça’


Durante passeio de motocicletas em Castro, no Paraná, o presidente Jair Bolsonaro discursou e relatou como seu governo está lidando com os problemas econômicos gerados pelas medidas tomadas por governadores e prefeitos a pretexto de combater a pandemia. O presidente lembrou que o mundo todo está sofrendo com as consequências do ‘fique em casa’.

Bolsonaro agradeceu pelo apoio que recebe da população, ironizando a velha imprensa. O presidente disse: “a grande mídia queria que tivesse aqueles escândalos de corrupção toda semana. Não teve nenhum”. Bolsonaro lembrou que tudo o que os governos fazem pelos cidadãos é com o dinheiro dos próprios cidadãos, e disse: “nosso trabalho é não atrapalhar. Acabou, no meu governo, aquela história de criar dificuldades para vender facilidades”.

O presidente lembrou: “Nós sabemos o que a esquerda produz. Produz desgraça. Produz luta de classes. Nós somos todos iguais”. Bolsonaro disse que não é possível “dar um cavalo-de-pau em um transatlântico”, mas que, com o tempo, tudo se renova. O presidente lembrou que quem for eleito em 2022 indicará dois ministros para o Supremo Tribunal Federal e disse: “a gente vai mudando, vamos oxigenando”.

Bolsonaro ironizou os resultados da CPI da pandemia, também conhecida como “CPI do Circo”, dizendo que o fato mais grave que lhe foi imputado foi o de ser motoqueiro. E acrescentou: “melhor falar demais que roubar demais”.

Há quase 10 anos, a Folha Política atua noticiando fatos, discursos, argumentos e denúncias que são obliteradas pela velha imprensa. Nosso veículo de imprensa dá voz às vozes conservadoras, ao anticomunismo, à defesa dos direitos fundamentais e da liberdade de expressão e de imprensa, além de trazer ao público os vídeos dos pronunciamentos de autoridades para que o público possa formar sua própria opinião sobre o que foi dito e não precise depender de relatos de terceiros.

Quem controla a informação controla, em última instância, a realidade. Grupos monopolísticos e cartéis que se associam com o intuito de barrar informações contrárias ou inconvenientes atuam em conluio com a finalidade de aniquilar qualquer mídia independente, eliminando o contraditório e a possibilidade de um debate público amplo, honesto, abrangendo todos os feixes e singularidades dos mais diversos espectros políticos. Controlando as informações, o cartel midiático brasileiro tenta excluir do debate e, em última instância, da vida pública, os conservadores e os veículos que dão voz a essas pessoas.

A renda da Folha Política está sendo confiscada a mando do ministro Luís Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com respaldo e apoio de Luís Roberto Barroso, ministro do STF e presidente do TSE. A decisão confisca, de forma indiscriminada, todas as receitas advindas do Youtube, indicando claramente que a intenção não é a de excluir conteúdos específicos, mas sim de calar o canal e eliminar a empresa.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há quase 10 anos, a Folha Política vem mostrando a realidade da política brasileira e quebrando barreiras do monopólio da informação. Com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();