“Quando invadirem sua casa, dá tiro de feijão”, ironiza Bolsonaro


Presidente criticou a esquerda por comparar a aquisição de armas à compra de feijão

O presidente Jair Bolsonaro voltou a ironizar, nesta sexta-feira (1°), as críticas feitas por opositores a respeito de suas falas sobre a flexibilização da compra de armas pela população. A apoiadores em frente ao Palácio do Planalto, Bolsonaro rebateu falas da esquerda como a de que o povo “não come arma, come feijão”.

– Esquerda fala que a gente não come arma, come feijão. Quando alguém invadir sua casa, dá tiro de feijão – disse.

O presidente afirmou também que o estado de Santa Catarina é o mais armado e o menos violento do país e declarou que “quanto mais armas, menos violência”. Por fim, o líder ainda saiu em defesa do atual entendimento do marco temporal em relação às terras indígenas.

– Estão querendo derrubar o marco temporal. Acaba o Brasil. Vai faltar comida para o resto do mundo. Se tivessem motivo para criticar meu governo, tudo bem, mas não têm – completou.

LEIA TAMBÉM: 

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();