‘Autoritarismo que está ocorrendo no Brasil é um absurdo’, diz Eduardo


Deputado Eduardo Bolsonaro Foto: Câmara dos Deputados/Cleia Viana

Em uma rede social, o deputado voltou a criticar a prisão de Roberto Jefferson

Nesta terça-feira (31), o deputado federal Eduardo Bolsonaro usou as redes sociais para falar sobre a prisão de Roberto Jefferson. Ele destacou que “o que está ocorrendo no Brasil é um absurdo”.

– Gostar ou não do Roberto Jefferson não vem ao caso. O que está ocorrendo no Brasil de fato é um absurdo e já se sabem as raízes deste autoritarismo – declarou o parlamentar.

Jefferson, que está preso no presídio Pedrolino Werling de Oliveira, conhecido como Bangu 8, passou mal na segunda-feira (30). Ele desmaiou na cela e chegou a ser levado para a sala do diretor da unidade, onde foi examinado por um dos presos, que é médico. O ex-deputado foi encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do presídio, por queixar-se de dores nas pernas e de pressão baixa. Ele passou cerca de uma hora no local e depois foi levado de volta ao presídio.

LEIA TAMBÉM: 

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu manter a prisão preventiva de Roberto Jefferson. A defesa do ex-deputado pediu a conversão da punição para pena domiciliar, alegando motivos de saúde, mas Moraes não acolheu o pedido.

Moraes afirmou que a defesa de Jefferson não apresentou provas que comprovassem as condições de saúde dele. O ministro do STF disse ainda que, antes de ser preso, o ex-deputado não aparentava “debilidade física”.

– O requerente, reiteradamente, postava em suas redes sociais vídeos atacando os Poderes da República e o Estado Democrático de Direito, sendo que, em muitas ocasiões, portava armas de fogo, praticando tiro ao alvo; além de, “didática e criminosamente”, ensinar pessoas a agredir agentes públicos. Em nenhum desses momentos, demonstrou qualquer debilidade física que o impedisse da prática de seus afazeres diários. Tais alegações somente surgiram, coincidentemente, após a decretação de sua prisão preventiva e a notícia do oferecimento da denúncia pela Procuradoria Geral da República – escreveu Moraes.

Na segunda-feira, a Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou Jefferson por incitação ao crime, incitação à insubordinação contra as instituições e homofobia.



Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();