Adolescente tem infarto e morre 16 horas após tomar a 2ª dose da Pfizer


Caso ocorreu na Itália

A jovem Giulia Lucenti, de 16 anos, foi sepultada na segunda-feira 13, depois de morrer vítima de um infarto. Ela foi a óbito em 9 de setembro, 16 horas após tomar a segunda dose da vacina da Pfizer. O caso ocorreu em Bastiglia, comuna de Modena, província da Itália. A prefeita da cidade, Francesca Silvestrim, decretou um dia de luto em homenagem à estudante do Instituto Galilei.

Tudo começou no meio da tarde, quando a mãe da jovem encontrou a filha sem vida no sofá, e ligou para a emergência. “Aqueles dois coágulos de sangue que saíram da veia da minha filha quando foi colocado o cateter com adrenalina no braço esquerdo, eu vi muito bem. Eram dois coágulos, não sangue líquido”, declarou Oxana Lucenti, ao jornal Notizie.it, ao relatar o atendimento médico.

Oxana acusa o resgate de negligência pelo não uso do desfibrilador. “Talvez, teria ajudado a reiniciar o batimento cardíaco”, disse. Embora o pai da adolescente não acredite que a causa da morte esteja relacionada à vacina, a família apresentou uma denúncia ao Ministério Público do país para ir mais a fundo. “Só a autópsia vai esclarecer”, afirmou a mãe, ao jornal. Giulia tinha uma imperfeição minúscula na válvula mitral, mas levava uma vida normal.


Um comentário:

  1. Casos como esse infelizmente vão se tornar rotina. Já cansei de falar que essas vacinas serão a maior fria em que a humanidade já se enfiou.

    ResponderExcluir

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();