Sérgio Reis nega que seja líder da greve dos caminhoneiros anunciada para 7 de setembro e fez um apelo para que a população saia de casa na data, senão o Brasil vai virar um “país comunista”.


Ex-deputado afirma que categoria pediu seu apoio no movimento que tem como um dos objetivos o impeachment de ministros do STF

O cantor e ex-deputado federal Sérgio Reis (Republicanos) negou nesta segunda-feira, 16, em entrevista ao Jornal da Manhã, que esteja organizando a paralisação dos caminhoneiros marcada para o dia 7 de setembro, Dia da Independência do Brasil.

“Eu sou uma pessoa que tem conhecimento profundo sobre o que acontece no país referente aos caminhoneiros, como eles são muito ligados e todos eles ouvem os meus programas, me falaram: ‘Sergio, dá uma força’. E eu falei: ‘Tudo bem, vamos lá’.Não sou eu o líder”, afirmou o artista. 

Entre as reivindicações da categoria, está o pedido de impeachment dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes e Luis Roberto Barroso. “O que nós queremos é que todos esses impeachment sejam estudados e analisados e eles não fazem nada. Então agora nós vamos pedir”, explicou o ex-parlamentar.

“Eu só estou nessa briga porque eu devo ao povo”, acrescentou. “Falam que o povo precisa comer, o povo precisa de saúde, o povo precisa que devolvam o dinheiro que roubaram”, defendeu o ex-parlamentar. O sertanejo ainda fez um apelo para que a população saia de casa na data, senão o Brasil vai virar um “país comunista”.

 

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();