“Não vou recuar um milímetro”, diz Otoni de Paula, após buscas



Deputado comentou mandados cumpridos contra ele na manhã desta sexta-feira

Em uma live feita no Facebook na manhã desta sexta-feira (20), após a saída dos agentes da Polícia Federal (PF) de sua residência, o deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ) afirmou que as buscas determinadas contra ele pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF, não vão fazê-lo mudar. O parlamentar afirmou que os agentes apreenderam seu notebook e o celular.

– Eu não vou recuar um milímetro. Este deputado federal aqui, investido da autoridade parlamentar, não vai recuar um milímetro. Se alguém acha que vou deixar de falar o que penso, não vou fazer isso – declarou.

O deputado federal disse acreditar que “estamos vivendo num estado de exceção” e voltou a chamar Moraes de “déspota”. Otoni ainda ressaltou que a PF não encontrou joias nem dinheiro em sua casa, pois não é “bandido”.

– Não tem como ser político e ficar rico; não tem como ser pastor e ficar milionário. Se ficar, é bandido – disse.

Em um discurso feito nesta semana na Câmara, Otoni criticou o Supremo dizendo que a Corte era responsável por “soltar um bandido” e por derrubar o voto impresso auditável. Na fala, o deputado questionou várias vezes se seria preso por fazer acusações ao STF.

– Me digam, senhores, para que eu diga a meus filhos se seu pai será preso por dizer que a Suprema Corte do meu país faz inquéritos ilegais e fraudulentos e pratica o contorcionismo jurídico para dar aparência de legalidade a suas inclinações ditatoriais – afirmou ele, na ocasião.

LEIA TAMBÉM: 

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();