Milhares de argentinos vão às ruas protestar contra a falta de empregos e a pobreza no país


Índice de desemprego na Argentina já chega a 10,2%

Milhares de cidadãos argentinos saíram às ruas de Buenos Aires neste sábado (7) para protestar contra a falta de empregos e a pobreza no país. A Argentina vive uma longa crise econômica que se agravou durante a pandemia do coronavírus.

Organizações sociais lideraram o movimento que começou em uma igreja, onde anualmente milhares de pessoas vão para pedir emprego a San Cayetano, patrono local do trabalho. A passeata terminou na Praça de Maio em frente à Casa Rosada, sede do governo federal argentino.

LEIA TAMBÉM: 




Entre as principais demandas da marcha estão a criação de um salário-base universal e a implementação de políticas públicas que acompanhem os diversos setores da economia popular.

Segundo a secretária adjunta de um dos grupos responsáveis pelo protesto, a decisão pela manifestação foi votada em assembleias de bairros e decidida em conjunto. No dia 7 de agosto, é comemorado na Argentina o dia de San Cayetano, motivo pelo qual a data é simbólica para um protesto contra a falta de emprego.

Atualmente, 42% da população argentina se encontra na faixa da pobreza, em meio à crise que elevou o índice de desemprego nacional a 10,2%.
















Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();