General Mourão comemora queda de queimadas na Amazônia em 2021: “Luta diária”



O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta 3ª feira (3.ago.2021) que o Brasil teve “resultados muito bons” nos índices de queimadas ocorridas na região amazônica. Foram registrados 4.977 focos de incêndio na Amazônia em julho. 

O número é o menor para o período nos últimos 2 anos, mas foi o maior registrado em 2021, com aumento de 116% em comparação com os focos registrados em junho. “Nas queimadas, nós estamos com resultados muito bons, pelo menos nesse começo da temporada. No mês de julho agora é uma redução de quase a metade em relação ao ano passado. Então, vamos prosseguir, é uma luta diária“, disse para jornalista na chegada à Vice-presidência nesta manhã.

LEIA TAMBÉM: 


 

Na 2ª feira (2.ago), o vice já havia citado que o número de focos de calor estava abaixo da média para o período. Em julho do ano passado, os focos de incêndio registrados foram 6.803. No ano anterior, 5.318. Desde maio deste ano, contudo, os incêndios aceleraram e têm aumentado. 

A chamada temporada do fogo é muito mais intensa de agosto a novembro. Ontem, Mourão afirmou que o Brasil ficará abaixo da meta de redução do desmatamento na Amazônia. Da diminuição esperada de 10%, o país deve atingir cerca de metade disso. Presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal, Mourão afirmou que a afirmou que o Brasil ficará abaixo da meta de redução do desmatamento na Amazônia. 

Da diminuição esperada de 10%, o país deve atingir cerca de metade disso. Presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal, Mourão afirmou que a redução representa uma “descendente” que deve ser mantida ao longo do segundo semestre. 

Para ele, ao manter resultados do tipo, o Brasil mostra para outros países que “os esforços estão sendo feitos” e, por isso, o país merece uma compensação pelos serviços ambientais. “A partir do momento que os países entenderem que tem que haver essa compensação e com base nesses recursos, nós então teríamos melhores condições pra contratar mais gente, contratar mais equipamento, ter um sistema de monitoramento mais eficiente“, afirmou.


Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();