Escócia libera crianças de 4 anos para mudar de gênero na escola sem o consentimento dos pais



Decisão não exige consentimento dos pais

O governo escocês autorizou que crianças de apenas quatro anos de idade possam mudar de gênero na escola, sem o consentimento dos pais. A medida é assinada por Shirley Somerville, que ocupa um posto equivalente ao de Ministro da Educação no Brasil.

A medida permite que crianças escolham por que nome atenderão, por qual gênero devem ser chamadas e ainda qual banheiro ou vestiário poderão utilizar. Além disso, os professores são obrigados a aceitar as escolhas da criança sem questioná-las, mas a escola não deve necessariamente avisar aos pais do aluno que quiser mudar de gênero.

O documento intitulado Apoiando alunos transgêneros nas escolas faz parte das “novas diretrizes de inclusão LGBT” da Escócia e defende que é possível “se assumir” como transgênero “em qualquer idade” e que, se os alunos desejarem que seus pais sejam informados, sua decisão deve ser “respeitada”.

Na edição de segunda-feira (15) do Jornal da Record, a psicóloga Adriana Gardin disse que crianças com esta idade não possuem condições psíquicas para tomar uma decisão como essa.

O jornalista Augusto Nunes também criticou a medida.

– Os autores da ideia certamente acham que se trata de um avanço extraordinário. [Mas] quem tem mais de 10 neurônios sabe que gente que concorda com uma insanidade deste calibre merece ser imediatamente matriculada no hospício – declarou Nunes.

LEIA TAMBÉM: 

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();