Chefe de gabinete de Randolfe Rodrigues doou para a campanha de 2018



Fornecedores da campanha continuaram a prestar serviços após eleição do senador

De acordo com a prestação de contas apresentada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a campanha do Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) recebeu doação de R$ 9 mil apenas da família de seu chefe de gabinete, o economista Charles Chelala. Cerca de R$ 2 mil foram em serviços de motorista para a campanha. A mulher de Charles e um de seus filhos também doaram recursos. As informações foram levantadas pelo portal R7.

Quatro fornecedores da candidatura de Randolfe ao Senado em 2018 também foram contratados para prestar serviços, com dinheiro público, ao parlamentar depois de eleito. 

LEIA TAMBÉM: 

Os dados enviados ao TSE também apontam que a mesma empresa que realizou pesquisas eleitorais na campanha de 2018, por R$ 26.208,00, recebeu verba do gabinete em 2019, também dinheiro público. A empresa é a Eco Serviços, que consta na prestação de contas do parlamentar como “consultoria na área de pesquisa socioeconômica”.

A última pesquisa realizada pela empresa, em julho deste ano, com as questões Qual o principal problema do Estado do Amapá? E o conhecimento sobre a CPI da covid-19 custou R$ 15 mil. Realizada no Amapá, base eleitoral de Randolfe, a pesquisa ouviu 988 pessoas em 9 cidades.

Outros fornecedores de campanha que prestaram serviços ao parlamentar depois da eleição foi a Set Filmes, que recebeu R$ 561.151,59 para fazer os programas de televisão do candidato; a gráfica RMR de Almeida e a Aerotop, que fretou avião para o candidato na campanha, cobrando R$ 8,9 mil por um voo.

A Assessoria do gabinete do parlamentar, ainda não se pronunciou sobre as informações.

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();