Novo inquérito de Moraes mira bolsonaristas e filhos do presidente e os acusa de suposta organização criminosa por terem feito grupo de Whatsapp



Alexandre de Moraes abriu novas investigações para desvelar uma suposta organização criminosa digital cujos passos foram detectados pela Polícia Federal. Nos autos, a Polícia Federal nomina como integrantes do núcleo político desse grupo dois filhos do presidente Jair Bolsonaro: o senador Flávio Bolsonaro e o vereador Carlos Bolsonaro.

O ministro do Supremo, Alexandre de Moraes, atendeu apenas em parte o pedido do procurador-geral da República de arquivar as investigações dos atos antidemocráticos. Na prática, o ministro multiplicou as frente de apuração e abriu casos específicos contra duas deputadas federais bolsonaristas.

Moraes, em decisão, declara extinta apenas apuração de atos produzidos em frente ao quartel-general de Brasília no ano passado, com gritos por intervenção militar.

O ministro, porém, abriu novas investigações para desvelar uma suposta organização criminosa cujos passos foram detectados pela Polícia Federal. Nos autos, a Polícia Federal nomina como integrantes do núcleo político desse grupo dois filhos do presidente Jair Bolsonaro: o senador Flávio Bolsonaro e o vereador Carlos Bolsonaro.

Moraes ainda abriu apurações específicas de caixa dois e uso irregular de servidores contra duas deputadas federais bolsonaristas, Paula Belmonte e Aline Sleutjes.




5 comentários:

  1. Criar narrativas é a prioridade de Sr. Alexandre de Moraes para tentar desgastar o governo federal e com isso tentar reverter os votos ao seu chefe na eleição que se avizinha, mas alguém deveria dizer a ele que o povo abriu os olhos para a política e que de nada adiantará essas narrativas.

    ResponderExcluir
  2. Organização criminosa é quem rouba o país ou protege os ladrões, simples assim, esse c... Sabe bem ISSO...

    ResponderExcluir
  3. Ta vendo assombração o lex Luthor

    ResponderExcluir

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();