Lula e Chico Buarque saem em defesa da ditadura Cubana e assinam carta no The New York Times contra embargo à Cuba



Texto pede que Joe Biden retire bloqueios criados pelo antecessor, Donald Trump; Gleisi Hoffmann e Wagner Moura também chancelam documento

Nesta sexta-feira, mais de 440 personalidades de diferentes países publicaram uma carta pública no jornal The New York Times contra as sanções americanas em relação à Cuba. Entre os signatários está o ex-presidente Lula, a deputada Gleisi Hoffmann, o compositor Chico Buarque e o ator Wagner Moura. 

O texto pede que Joe Biden retire bloqueios criados pelo antecessor, Donald Trump. Em meio à pior crise econômica em décadas e ao aumento de mortes por Covid-19 desde o início da pandemia, milhares de pessoas saíram às ruas em Havana no dia 11.

Os manifestantes gritavam contra a fome, pela liberdade e denunciando a ditadura. As manifestações foram consideradas pacíficas pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos, que condenou a repressão violenta. Pelo menos uma morte e 151 prisões foram relatadas e há detidos com paradeiro desconhecido. 

Nesta quinta-feira, 22, o presidente Joe Biden divulgou um comunicado condenando a prisão de ativistas em protestos contra o governo de Cuba e denunciou julgamentos de fachada contra opositores do regime.


Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();