Governo Bolsonaro prepara novo Bolsa Família para novembro



Atualmente, 15 milhões de pessoas de baixa renda recebem o benefício

O governo estuda ampliar o Bolsa Família a partir de novembro, depois que a nova rodada do auxílio emergencial acabar. Outros programas também devem ser oferecidos à população de baixa renda.

Em vez de prorrogar novamente o benefício disponibilizado em meio à pandemia, a intenção do governo é reformular o Bolsa Família, que deve passar a se chamar Renda Cidadã.

LEIA TAMBÉM: Morre de covid-19 aos 44 anos, Médico ortopedista em Curitiba, médico já tinha se vacinado com 2 doses da CORONAVAC

Pai do prefeito Eduardo Paes morre aos 78 anos vítima de covid-19, Valmar Paes se vacinou em Março com 2° dose da CORONAVAC

CPI DA COVID: STF PROTEGE E FORMA MAIORIA PARA PROIBIR CONVOCAÇÃO DE GOVERNADORES

URGENTE: Relatório do CDC dos EUA admitem mais hospitalizações de jovens por causa da vacina com miocardite e pericardite do que do vírus COVID-19

Atualmente, 15 milhões de pessoas de baixa renda recebem o benefício. A ideia é ampliar esse número para cerca de 21 milhões.

No formato a ser lançado para valer a partir de novembro, o valor médio de R$ 190 deve subir para R$ 300. Os recursos virão de fundos setoriais, que ainda estão sendo mapeados.

Para quem ficar fora do Renda Cidadã, a previsão é oferecer outros programas, como o Alimenta Brasil - que incentiva a produção e doação de alimentos - e uma espécie de bolsa trabalho para jovens, com metade do valor pago pelas empresas e metade pelo governo.

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();