Funcionários de loja do Burger King pedem demissão em massa



Colaboradores pediram dispensa após reclamarem das péssimas condições de trabalho

Todos os funcionários de uma unidade da rede Burger King localizada na cidade de Lincoln, em Nebraska, nos Estados Unidos, decidiram pedir demissão da empresa e divulgar o fato aos clientes de uma forma nada discreta: com uma frase escrita no grande letreiro com a logo da rede, que fica na frente da loja. O fato inusitado aconteceu na terça-feira (13).

De acordo com funcionários da loja, a decisão foi motivada pelas precárias condições de trabalho no local. Em entrevista ao site norte-americano Today, a gerente-geral da unidade, Rachel Flores, contou que ela e outros seis funcionários haviam apresentado o pedido de demissão no final de junho.

LEIA TAMBÉM: Lula ataca militares e diz: "Militares conversa muita merda, devem trabalhar cuidando dos 25.000 km de fronteira e jamais se meter em política"

Comunismo, Venezuela: 96,2% da população vive na pobreza e 79,3% estão em situação extrema pobreza

DJ Ivis garoto propaganda do magazine luiza ganha mais de 250 mil seguidores após vídeos de agressões com socos e chutes à ex-mulher

URGENTE: Relatório do CDC dos EUA admitem mais hospitalizações de jovens por causa da vacina com miocardite e pericardite do que do vírus COVID-19

Flores também contou que começou a trabalhar na lanchonete em agosto de 2020, depois de perder o antigo emprego diante da crise provocada pela pandemia do coronavírus. Ela afirmou que já havia trabalhado na rede de fast food antes, mas que foi surpreendida negativamente pelo comportamento da gerência da loja em Lincoln.

Segundo a colaboradora, havia sobrecarga de trabalho porque a equipe era escalada pela metade a cada turno. Assim, trabalhavam dois ou três funcionários quando o ideal deveria ser entre cinco e sete. Flores apontou outras condições precárias para o trabalho, como a falta de ar condicionado na cozinha, o que levou muitos funcionários a passar mal.

– Nós pedimos demissão porque a alta administração era uma piada e não se importava comigo ou com meus funcionários – escreveu Rachel Flores em sua página pessoal em uma rede social.

Em nota, um porta-voz da rede Burguer King disse estar “ciente da situação” e afirmou ter constatado que a referida loja não atua de acordo com os valores da marca. Ainda segundo o porta-voz da rede, o franqueado foi notificado para analisar a situação e “garantir que isso não aconteça no futuro”.


EMPRESA SE ENVOLVE EM POLÊMICA NO BRASIL

A rede Burger King se envolveu em uma polêmica no Brasil no fim de junho, após a divulgação de uma propaganda em que usa crianças para “ensinar” aos adultos o que é a comunidade LGBTQIA+. O fato causou revolta nas redes sociais e gerou uma série de críticas ao conteúdo.

O mote da campanha era a pergunta: “Não sabe explicar o que é LGBTQIA+ para as crianças? Aprenda com eles”. Em seguida, a peça publicitária colocava crianças ao lado dos pais “explicando” a eles o que significa a sigla e o que elas acham sobre as pessoas que pertencem a esta comunidade.

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();