Bolsonaro diz que Barroso faz “ativismo” contra voto auditável



Presidente deu declaração para jornalistas na saída do hospital neste domingo

Na manhã deste domingo (18), ao deixar o Hospital Vila Star, em São Paulo (SP), onde estava internado por causa de uma obstrução intestinal, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender o voto impresso auditável e criticar o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por, segundo Bolsonaro, fazer “ativismo” contra a mudança.

Por que a vontade doida do [Luís Roberto] Barroso de manter o sistema como está? A apuração tem que ser também pública. Temos que afastar aquela história de que quem ganha eleição não é quem vota, mas quem conta os votos. […] Por coincidência, quem faz o maior ativismo contra o voto auditável é o ministro Barroso – disse.

LEIA TAMBÉM: Lula ataca militares e diz: "Militares conversa muita merda, devem trabalhar cuidando dos 25.000 km de fronteira e jamais se meter em política"

Comunismo, Venezuela: 96,2% da população vive na pobreza e 79,3% estão em situação extrema pobreza

DJ Ivis garoto propaganda do magazine luiza ganha mais de 250 mil seguidores após vídeos de agressões com socos e chutes à ex-mulher

URGENTE: Relatório do CDC dos EUA admitem mais hospitalizações de jovens por causa da vacina com miocardite e pericardite do que do vírus COVID-19

O presidente também questionou a utilização do voto eletrônico ao redor do mundo, e fez questão de ressaltar que a intenção do voto auditável é promover uma modernização no sistema eleitoral, assim como frequentemente é feito no sistema bancário, que busca formas de impedir a entrada de hackers em seus sistemas.

– Não entendo por que não querem o voto auditável. Será que esse voto eletrônico é usado no mundo todo? É tão confiável assim? Tenho certeza de que a maioria de vocês não acredita no voto como está aí. As coisas evoluem. É igual banco. Eles buscam maneiras de evitar que hackers e bandidos entrem [no sistema] – declarou.

Por fim, o presidente voltou a dizer que “só Deus” o tira da cadeira de presidente e afirmou que é incessante na luta contra a corrupção. O líder afirmou que será o primeiro a buscar maneiras de apurar casos de condutas inapropriadas caso elas ocorram dentro de sua administração.

– Querem derrubar o governo? Já disse: só Deus me tira daquela cadeira. Será que não entenderam que só Deus me tira daquela cadeira? Se aparecer corrupção em meu governo, serei o primeiro a buscar maneiras de apurar e deixar na mão da Justiça para que esse possível responsável seja punido – finalizou.

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();