Rosa Werber acata ação de advogado que culpa Bolsonaro pela pandemia Mundial e determina que PGR apure se Bolsonaro cometeu crimes



Ministra Rosa Weber determinou que PGR apure se Bolsonaro cometeu genocídio

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal, determinou que a Procuradoria Geral da República investigue uma petição contra o presidente Jair Bolsonaro e avalie se ele cometeu genocídio, charlatanismo e outros crimes durante a pandemia da Covid-19 no Brasil.

A petição em questão partiu do advogado Jefferson de Jesus Rocha, que usou a Bíblia como base de sua manifestação. A ordem de Weber é protocolar, pois é responsabilidade da PGR cuidar do assunto. A ministra também tinha como opção arquivar a ação.

LEIA TAMBÉM: Morre jornalista que “torceu” para coronavírus matar Bolsonaro, Fábio Campana faleceu aos 74 anos, vítima da Covid-19 e estava vacinado com coronavac

Manifestações contra Bolsonaro “fracassam” e web debocha

Igreja Universal doa 280 mil kits de higiene em 602 presídios brasileiros

Morre de infarto professor que pediu fuzilamento de bolsonaristas

URGENTE: China confirma primeiro contágio humano no mundo da cepa H10N3 da gripe aviária

Prefeitos e governadores continuam agindo como se o vírus não pegasse em ônibus lotado

Jefferson afirma, em um documento de cinco páginas, que tentou alertar os pastores da região em que mora, Caculé, na Bahia, ainda em 2019. Ele diz ainda que jogou suco de uva na frente das igrejas, vestiu roupas de pano de saco e pregou panfletos. Para o advogado, existe uma ligação entre a ida de Bolsonaro ao Templo de Salomão, da Igreja Universal, e a pandemia.

– No ano seguinte, em 2020, surge na China um vírus mortal, que ceifou e está ceifando a vida de milhares de pessoas no Brasil e fora dele, sendo tratado o assunto com puro descaso pelo Poder Executivo Federal – declarou.

Para Jefferson, Bolsonaro cometeu quatro crimes: genocídio, charlatanismo, perigo para a vida ou saúde de outrem e fraude processual. O advogado também tentou enviar um ofício ao senador Randolfe Rodrigues para ir à CPI da Covid prestar depoimento.

– Apesar de não ter chegado ao presidente, creio que minha parte foi feita, a fim de não ficar refém desse proveito religioso contra uma população inocente e incapaz de se defender – concluiu Jefferson.

3 comentários:

  1. Não sei quem é o asno ah história, o advogado ou a ministra, ou os dois.

    ResponderExcluir
  2. Se isto for verdade.. A Rosinha está fora da casinha .. que credibilidade ela ou de ter???

    ResponderExcluir

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();