Presidente do Conselho Federal de Medicina diz que Bolsonaro não é culpado por mortes da Covid



Representante da entidade afirmou que politização da narrativa pode ser prejudicial ao combate ao vírus

O presidente do Conselho Federal de Medicina, Mauro Ribeiro, foi enfático ao dizer que não existe qualquer culpa do presidente Jair Bolsonaro ou de seus ministros sobre as mortes causadas pela Covid-19 no Brasil. A fala ocorreu durante uma entrevista concedida ao programa Os Pingos Nos Is, da Jovem Pan, na última terça-feira (15).

LEIA TAMBÉM: Após seguidos Lockdowns sem resultado, Prefeito petista decreta novo lockdown em Araraquara

Motociata com Bolsonaro gera R$ 40 milhões em receita para o Estado e arrecada mais de 700 toneladas de alimentos em São Paulo

Sikêra “cala a Folha” e confirma que recebeu dinheiro do governo: " Vivo de propaganda e não trabalho de graça"

Site petista BRASIL247 defende Lázaro serial killer satanista e diz que assassino é vítima

Real salta de 116º lugar e se torna a 12ª moeda que mais se fortalece no mundo

– O que atrapalha muito essa discussão [da pandemia] é o ambiente que se criou de que existem culpados para as mortes. Então, as pessoas acusam o presidente da República, acusam os ministros da Saúde, que passaram no ministério, de genocidas, como grandes responsáveis [pelas mortes]. O presidente [e] os ministros não são responsáveis por morte nenhuma – disse.

Ribeiro também destacou que a politização a respeito das narrativas sobre a doença podem ser prejudiciais ao combate ao vírus e ressaltou que as discussões sobre a eficácia de medicamentos que fazem parte do tratamento precoce contra a Covid, como a hidroxicloroquina e a ivermectina, são legítimas.

– Existem exageros na narrativa. Nós podemos discutir a efetividade da hidroxicloroquina e da ivermectina no tratamento precoce da Covid. Essa discussão é legítima. Agora, discutir a segurança dessas drogas é querer fazer pouco da inteligência das pessoas. Dizer que hidroxicloroquina ou ivermectina matam, que são substâncias perigosas, vai a uma distância muito grande – declarou Ribeiro.



Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();