Evangélica é impedida de seguir com adoção por ser Cristã



Sentença disse que requerente precisa "ampliar seu pensamento sobre as questões sexuais"

Uma teóloga evangélica de Passo Fundo, Rio Grande do Sul, foi impedida de prosseguir com o processo de adoção a uma criança devido a suas crenças religiosas. A decisão da Justiça gaúcha considerou que a requerente, Juliana Ferron, deveria repensar seu posicionamento sobre a sexualidade humana.

LEIA TAMBÉM: Morre jornalista que “torceu” para coronavírus matar Bolsonaro, Fábio Campana faleceu aos 74 anos, vítima da Covid-19 e estava vacinado com coronavac

Manifestações contra Bolsonaro “fracassam” e web debocha

Igreja Universal doa 280 mil kits de higiene em 602 presídios brasileiros

Morre de infarto professor que pediu fuzilamento de bolsonaristas

URGENTE: China confirma primeiro contágio humano no mundo da cepa H10N3 da gripe aviária

Prefeitos e governadores continuam agindo como se o vírus não pegasse em ônibus lotado

– É importante que ela [Juliana] possa e se permita ampliar seu pensamento sobre as questões sexuais (…) [Ela] possui algumas crenças que podem impossibilitá-la de criar adequadamente uma criança – diz trecho do documento.

Juliana deu início ao processo de adoção no ano passado, entregou toda a documentação e chegou a realizar o curso exigido, mas foi reprovada para ser mãe adotiva na fase do pedido de habilitação. Nesta etapa avalia-se se o interessado possui os requisitos necessários adotar uma criança. São realizadas entrevistas com psicólogos e assistentes sociais a fim de averiguar questões como idade, condição psicossocial, socioeconômica, entre outras.

Juliana Ferron é ex-homossexual, pois após sua conversão ao Evangelho, decidiu repensar a sua sexualidade. Hoje missionária e estudante de Psicologia, ela escreve livros e dá palestras sobre o seu testemunho.

A decisão deverá ser analisada no duplo grau de jurisdição pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul.



 

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();