Ex-chefe de gabinete de Lula admite corrupção do PT



No entanto, Gilberto Carvalho minimizou questão e disse que maioria do partido é honesta

O ex-chefe de gabinete do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Gilberto Carvalho, admitiu, em entrevista à revista Veja, que houve corrupção durante as gestões petistas. No entanto, Carvalho minimizou o problema e afirmou se tratar de uma questão que permeia todos os governos e esferas da vida.

LEIA TAMBÉM: Aos 79 anos, senador José Serra é internado com Covid em SP, senador se vacinou com 2 doses da CORONAVAC em Março

CPI DA COVID: STF PROTEGE E FORMA MAIORIA PARA PROIBIR CONVOCAÇÃO DE GOVERNADORES

Duas pessoas são presas em Goiás por ajudar fuga de Lázaro

Homem é espancado a pauladas após ser confundido com serial killer Lázaro

Após seguidos Lockdowns sem resultado, Prefeito petista decreta novo lockdown em Araraquara

– […] Houve corrupção durante os nossos governos? Claro que houve corrupção nos nossos governos, como há em qualquer governo, em qualquer instituição, empresa. Houve petistas que se corromperam? Houve. Houve aliados nossos que se corromperam? Houve. Mas, se você considerar bem tudo o que houve na Petrobras, nos processos todos, a imensa maioria dos autores desses roubos são aqueles que continuam no governo Bolsonaro. São os mesmos partidos que continuam lá, os do Centrão – acusou.

Confrontado sobre a tentativa de aproximação do PT com lideranças do Centrão – a quem culpou pelos roubos -, incluindo a busca de Lula por alianças que o fortaleçam para 2022, Carvalho atribuiu a questão ao contexto político que se vive com o governo Jair Bolsonaro.

– É uma aparente contradição, mas o que ocorre é que o agravamento da realidade brasileira se deu de tal modo, a prática da destruição do país levou a tal ponto que a reversão desse quadro de morte não se dará apenas pelas forças de centro-esquerda. Essa situação nos obriga a fazer esse tipo de diálogo – justificou.

Ainda segundo Carvalho, apesar dos diversos escândalos envolvendo o governo Lula, a corrupção ‘não era a norma’.

– Temos de usar a informação como arma. Mostrar que, se houve fatos de corrupção dentro do nosso governo, isso não era a norma. Temos de mostrar que a imensa maioria dos petistas, a imensa maioria dos ministros do PT, assim como eu [o processo de corrupção que havia contra ele foi arquivado por falta de provas], segue lutando para sobreviver e não acumulou riqueza – argumenta.


Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();