Entre 53 países, Argentina é o pior para viver na pandemia



Classificação da Bloomberg levou em conta a reabertura e a situação sanitária das nações

Ao avaliar a gestão da pandemia e a reabertura em 53 nações ao redor do mundo, o ranking de resiliência da Covid da Bloomberg avaliou que os Estados Unidos são o melhor país para se viver atualmente, enquanto a Argentina é a pior das opções analisadas. O Brasil se encontra em 41° lugar do ranking.

Na classificação, foram levadas em conta métricas como taxas de mortalidade, contagem de infecções, liberdade de movimento, crescimento econômico, além de dois novos indicadores: a facilidade de entrada e saída de um local e a recuperação de viagens aéreas.

LEIA TAMBÉM: Morre de covid-19 aos 44 anos, Médico ortopedista em Curitiba, médico já tinha se vacinado com 2 doses da CORONAVAC

Pai do prefeito Eduardo Paes morre aos 78 anos vítima de covid-19, Valmar Paes se vacinou em Março com 2° dose da CORONAVAC

CPI DA COVID: STF PROTEGE E FORMA MAIORIA PARA PROIBIR CONVOCAÇÃO DE GOVERNADORES

CPI DA COVID: STF PROTEGE E FORMA MAIORIA PARA PROIBIR CONVOCAÇÃO DE GOVERNADORES

URGENTE: Relatório do CDC dos EUA admitem mais hospitalizações de jovens por causa da vacina com miocardite e pericardite do que do vírus COVID-19

De acordo com o estudo, a capacidade de um país voltar aos tempos pré-pandêmicos tem sido cada vez mais valorizada, após os esforços se concentrarem integralmente em garantir a contenção de casos e mortes e um bom sistema de saúde.

Com rápida vacinação dominada por tecnologias de RNA mensageiro que já alcança metade da população, os Estados Unidos hoje já possuem restaurantes lotados, viajantes de férias, e não obrigatoriedade de máscaras para vacinados. O crescimento econômico tem sido vertiginoso após um pacote de estímulo de US $ 1,9 trilhão e a confiança do consumidor se elevar diante da imunização. Países europeus como Suíça, França e Espanha também estão entre os 10 melhores, pois abrem as fronteiras para turistas vacinados ao passo que as hospitalizações diminuem.

Em contraste, a Argentina é classificada em último lugar entre as 53 economias, e Filipinas, Malásia e Índia completam as quatro posições finais. Nesses países foi observado crescimento das infecções por Covid-19, aliadas a restrições em vigor e vacinação vacilante. Partes da região da Ásia-Pacífico, como Cingapura, Hong Kong e Austrália, também caíram de posições, pois possuem a reabertura limitada por uma abordagem “tolerância zero” para pequenos surtos do vírus.


CONFIRA O RANKING:

  1. EUA
  2. Nova Zelândia
  3. Suíça
  4. Israel
  5. França
  6. Espanha
  7. Austrália
  8. China
  9. Reino Unido
  10. Coreia do Sul
  11. Noruega
  12. Dinamarca
  13. Singapura
  14. Turquia
  15. Arábia Saudita
  16. Bélgica
  17. Finlândia
  18. Emirados Árabes Unidos
  19. Grécia
  20. Romênia
  21. Suécia
  22. Holanda
  23. Japão
  24. Canadá
  25. Áustria
  26. Itália
  27. Irlanda
  28. Alemanha
  29. Portugal
  30. Hong Kong
  31. República Tcheca
  32. Rússia
  33. Egito
  34. México
  35. Polônia
  36. Nigéria
  37. Iraque
  38. Chile
  39. Tailândia
  40. Vietnã
  41. Brasil
  42. Irã
  43. África do Sul
  44. Taiwan
  45. Peru
  46. Bangladesh
  47. Paquistão
  48. Colômbia
  49. Indonésia
  50. Índia
  51. Malásia
  52. Filipinas
  53. Argentina.



Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();