Ciro expõe Lula: ‘Deu pouco aos pobres e muito aos ricos’



Peça publicitária foi criada por João Santana, ex-marqueteiro do PT

Em novos vídeos produzidos pelo marqueteiro João Santana para o PDT, o ex-ministro Ciro Gomes, apontado como candidato à Presidência em 2022, escolheu os ex-presidentes Luiz Inácio da Silva (PT) e Dilma Rousseff (PT) como alvos.

– O Brasil era a sexta maior economia do mundo. Com Dilma virou a nona e com Bolsonaro a 12°. Precisa dizer mais? – disse o pedetista na gravação mais recente, que será divulgada nesta terça-feira, 4, nas redes sociais.

Em outra mensagem, o ex-ministro disse que Lula “deu pouco para os pobres e muito para os ricos”. As gravações foram divulgadas nos canais do ex-presidenciável e do PDT no momento em que Lula está em Brasília para se reunir com lideranças de vários partidos.

LEIA TAMBÉM: BOLSONARO: "NO BRASIL SOMOS TODOS MENGÃO, A TAÇA É NOSSA"; VÍDEO!

URGENTE: Cunhado de Gilmar Mendes é preso em boca de fumo com arsenal de armas

VERGONHA: Esquerdista Noblat faz enquete para promover Lula em seu twitter, mas rejeição do petista já estão em quase 70%

Bolsonaro irá aumentar o valor do Bolsa Família. Veja Vídeo

Ao vivo: Bolsonaro inaugura ponte entre Piauí e Maranhão

Os vídeos fazem parte da estratégia de Ciro de se apresentar como uma opção à esquerda do PT no debate eleitoral.

– O governo Lula deu pouco para os pobres, e muito para os ricos. Como o Brasil estava tão pouco acostumado a cuidar dos pobres, o pouco que Lula cuidou, pareceu muito – disse o ex-ministro.

Em outro trecho, o pedetista afirmou que “como o Brasil estava há séculos acostumado a dar muito para os ricos, ninguém percebeu nem estranhou que um governo dito de esquerda fizesse isso também”.

JOÃO SANTANA MUDA DE LADO

Ex-marqueteiro do PT, Santana foi contratado para produzir uma série de comerciais em clima de campanha, nos quais Ciro fala com os “desassistidos” e “inconformados” sobre emprego e outros temas. Os vídeos são de curta duração, cerca de um minuto cada.

Santana coordenou as campanhas vitoriosas de Luiz Inácio Lula da Silva, em 2006, e de Dilma Rousseff, em 2010 e em 2014. Em 2017, o publicitário foi condenado na Operação Lava Jato a uma pena de 7 anos e 6 meses por lavagem de dinheiro.

Após um acordo de delação premiada, cumpriu cerca de um ano e meio em regime fechado diferenciado – em que ficou em recolhimento integral domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica. Em seguida, passou para os regimes semiaberto e, depois, para o aberto.

No final do ano passado, em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, Santana avaliou que a candidatura de esquerda com maior chance de ser eleita seria uma chapa encabeçada por Ciro com Lula como candidato a vice.

*Estadão

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();