Twitter remove vídeo de Roberto Jefferson de ‘kit anti-satanás’ para usar contra o satanás que for fechar igrejas



Plataforma alegou "ameaça de violência"

O Twitter removeu neste domingo (4), um vídeo publicado pelo presidente nacional do PTB, ex-deputado Roberto Jefferson, em que ele aparecia convidando a população a se armar para combater o “Satanás que quer fechar igreja”.

Na publicação, feita na sexta-feira (2), o ex-deputado apresentava o que chamou de “kit anti-satanás”.

LEIA TAMBÉM: Prefeito de Curitiba Rafael Greca cria projeto de lei para proibir distribuição de comida a moradores, multa pode chegar a R$ 550

URGENTE: Ministro Kassio Nunes indicado por Bolsonaro, libera missas e cultos presenciais em todo país

Governo Bolsonaro divulga calendário de pagamento do Auxílio Emergencial 2021; CONFIRA AS DATAS E QUEM PODE RECEBER

Paulo Guedes alerta Bolsonaro sobre risco de impeachment se ele não vetar Orçamento

– Tem um Satanás armado? Esse imediatamente um irmão patriota bota fora de combate – disse, enquanto empunhava uma arma.

O político exibia como parte do kit um cabo de enxada, um taco de beisebol e um chicote. O vídeo era acompanhado pela mensagem: “Kit anti-satanás. Os comunistas que querem fechar as igrejas devem ser exorcizados”.

Jefferson também sugeria que cristãos usassem uma balaclava na “hora que chegar o Satanás para fechar a igreja” porque “não pode respirar o ar do Satanás, para não adoecer”.

A publicação surgiu no momento em que grupos evangélicos manifestavam insatisfação com medidas de gestores regionais que proibiram celebrações religiosas presenciais em razão do recrudescimento da pandemia.

A permissão surgiu apenas no sábado (3), a partir da decisão do ministro Kassio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal, que liberou cultos e missas realizados presencialmente.

O Twitter informou que a publicação violou as regras de conduta. A rede social diz vetar que usuários promovam “ameaça de violência” e a “glorificação da violência”.

Além do vídeo removido, a conta do político ficou fora do ar por 11 horas.

Um comentário:

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();