Nunes Marques derruba liminares de Gilmar Mendes que haviam soltado empresários por crime de corrupção



Foram três decisões em habeas corpus referentes a investigados em operações da Polícia Federal que foram presos, mas depois soltos por Gilmar

Apesar da derrota no julgamento da liberação dos cultos religiosos durante a pandemia no plenário do Supremo Tribunal Federal nesta semana, o ministro Nunes Marques conseguiu derrotar o ministro Gilmar Mendes na Segunda Turma da corte após abrir uma divergência que acabou por reverter decisões de Gilmar que soltaram presos pelo juiz da 7 vara Federal Criminal do Rio de janeiro, Marcelo Bretas.

Foram três decisões em habeas corpus (157.972, 191.068 e 176.004) referente a investigados em operações da Polícia Federal que foram presos, mas depois soltos por Gilmar Mendes.

Os julgamentos ocorreram no plenário virtual e se encerraram às 0h de quinta-feira. Gilmar Mendes deu o primeiro voto pela manutenção da soltura dos investigados e foi acompanhado por Ricardo Lewandowski. Depois, Nunes Marques abriu a divergência e foi seguido por Carmen Lúcia e Edson Fachin.

Com isso, foram revogadas as solturas do empresário Arthur Pinheiro Machado, alvo da Operação Rizoma, que apura irregularidades nos fundos de pensão dos Correios (Postalis) e do Serpro (Serpos); Josemar Pereira, alvo de uma fase da Lava Jato que investigou pagamento de propina a conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro; e Luiz Arthur Andrade Correia, conhecido como Zartha, alvo de uma operação que investigou a manipulação de mercado para favorecer operações de interesse de Eike Batista.

6 comentários:

  1. Eita isto esta ficando bom... vamos ver quem fica em pé... Gilmar Mendes o laxante do STF apaixonado por bandidos

    ResponderExcluir
  2. Esta semana termina bem apesar da cassação das liminares, das missas e dos cultos religiosos.
    Parabéns Ministro NUNES MARQUES, continue derrotando a ALA PODRE DO STF.

    ResponderExcluir
  3. É um passo!! A caminhada é dura!.

    ResponderExcluir
  4. O Gilmar Mendes, há muito, esqueceu o que é legislar em prol da nação Brasileira. O dinheiro compra honra?, viver em seu País e ser odiado pelo seu povo vale à pena?. Deixar aos filhos o legado de desamor ao seu País tem preço?. Os seus desvios, um dia, serão alimentados por seus gritos agonizante em um momento que o dinheiro já não terá o valor que o ministro deu à ele. O mundo dá, o mundo cobra!. Salve o Senhor Javé, salve o Senhor Jesus e o Divino Espírito Santo. Pobre alma pobre!.

    ResponderExcluir
  5. gilmar bandido se entende bem com bandido

    ResponderExcluir
  6. Esses ministros tem que se por no lugar deles..

    ResponderExcluir

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();