Lira dirá ao STF que Constituição não lhe dá prazos para analisar impeachment



 Cármen Lúcia determinou à Câmara que em cinco dias seja explicado o motivo de os pedidos de impeachment na casa não serem analisados

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), vai informar à ministra do Supremo Tribunal Federal Cármen Lúcia que a Constituição Federal não estabelece prazos para que presidentes da casa analisem pedidos de impeachment contra presidente da República.

A área técnica da Câmara também devera lembrar Cármen que isso vale tanto para ele quanto para seu antecessor Rodrigo Maia, que não despachou nenhum dos mais de 60 pedidos de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro e que foram herdados por Lira.

Nesta quinta-feira, Cármen Lúcia determinou à Câmara que em cinco dias seja explicado o motivo de os pedidos de impeachment na casa não serem analisados.

Um comentário:

  1. Esses autorizantes/mandantes de genocidas, libertadores de bandidos, querem porque querem destruir o Brasil. Eles se metem em tudo, interferem nos outros poderes e não estão nem aí. Que se lixem os pobres mortais!

    ResponderExcluir

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();