Após sugerir morte de Bolsonaro, Aras quer ‘enquadrar’ Danilo Gentili


Procurador-geral da República quer incluir o humorista no inquérito de atos antidemocráticos

O procurador-geral da Republica Augusto Aras reforçou ao STF o pedido de incluir Danilo Gentili no inquérito dos atos antidemocráticos.

Na petição, o procurador apresentou um tuíte do humorista sobre uma declaração de Jair Bolsonaro durante a live de quinta-feira:

Quem diz que só sai da cadeira de presidente morto é ditador. E ditador a gente sabe o que merece – afirmou Gentili.

Gentili também ironizou o presidente, utilizando uma foto de Benito Mussolini, líder fascista italiano, morto e pendurado de cabeça para baixo.

Em sua manifestação, Aras afirmou que o apresentador “mais uma vez, manifestou-se na rede social Twiter de forma a hostilizar a Presidência da República, instituição democrática por excelência”.

– Em face do exposto, considerando, sobretudo, que o mencionado discurso de ódio direcionado à Câmara dos Deputados, e agora à Presidência da República, configura ação ilegal e contrária ao Estado Democrático de Direito, o procurador-geral da República manifesta-se pelo reconhecimento da conexão entre o presente caso e os fatos apurados no inquérito que investiga atos e manifestações antidemocráticas e atentatórias às instituições do Estado (INQ 4s828) – diz a petição.
 


Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();