“Meta é aplicar um milhão de vacinas por dia”, diz Queiroga




Em sua primeira entrevista após assumir o Ministério da Saúde, Marcelo Queiroga falou, nesta quarta-feira (24), que a meta do governo, no curto prazo, é a de aplicar um milhão de vacinas contra a Covid-19 todos os dias. O novo ministro também explicou que irá criar a Secretaria Especial de Combate à Pandemia com funcionamento por 24 horas por dia.

Marcelo Queiroga começou a falar sobre o assunto explicando a vontade dos brasileiros em se vacinar.

LEIA TAMBÉM: Após Bolsonaro tirar impostos federais do botijão de gás e diesel, governadores e DF aumentam impostos estaduais do diesel e gás de cozinha

URGENTE: Mulher dada como morta por Covid-19 se levanta do caixão em velório; VÍDEO.

PT, PC do B, REDE e PSOL votaram contra criação e aprovação do novo auxílio emergencial que irá socorrer milhões de famílias

Lockdown que mata: Feirante tira a vida em Salvador e cita governador e prefeito em carta, "NÃO ESTOU CONSEGUINDO PAGAR MINHAS DÍVIDAS POR CAUSA DO GOVERNADOR E PREFEITO DECRETARAM FECHAMENTO DE TUDO"

“A grande ferramenta para a concretude das políticas públicas é o Sistema Único de Saúde (…) O compromisso número 1 do nosso governo é com a implementação de uma forte campanha de vacinação. Todos sabem o esforço que foi feito para buscar vacinas (…) Hoje sabemos que 95% da população brasileira deseja ser imunizada. E nós, agentes públicos, temos que focar todos os esforços para que o programa tenha concretude”, afirmou.

Ele disse ainda que apesar de o número poder ser maior, ainda é preciso buscar mais imunizantes.

“Com a pandemia da Covid-19, a determinação expressa do presidente da República é para que consigamos ampliar esse número de vacinação. Temos condições de vacinar muitas pessoas. Atualmente vacinamos 300 mil indivíduos todos os dias. E o ministro da Saúde e o governo assumem o compromisso de, em curto prazo, aumentar pelo menos em três vezes a velocidade de vacinação, para um milhão de vacinas todos os dia. É uma meta plausível. Temos condições de ampliar ainda mais. Não quero me comprometer, porque precisamos buscar mais vacinas. E temos a indústria de vacinas nacional”, explicou.

O ministro então apontou que recebeu autonomia do presidente Jair Bolsonaro para indicar seus secretários.



 

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();