Brasil receberá 9,1 milhões de vacinas pela Covax, da OMS



País é líder em quantidade de agentes imunizantes a serem entregues pelo programa

O Brasil receberá 9,1 milhões de doses de vacinas contra o novo coronavírus por meio do programa Covax, criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo fundo de imunização GAVI.

Ao todo, a agência distribuirá 26 milhões de doses de agentes imunizantes, principalmente da AstraZeneca, entre março e maio deste ano aos países da América Latina, por meio da iniciativa global.

De acordo com a lista publicada nesta segunda-feira pelo GAVI, o Brasil está entre as 142 nações que receberão as primeiras doses que a Covax irá gerir nos próximos três meses.

A Colômbia, que nesta segunda-feira (1°) foi o primeiro país da América Latina a receber lote de vacinas, totalizará 2 milhões de doses até maio.

O Brasil é o líder em quantidade de agentes imunizantes a serem entregues pelo Covax, com as 9,1 milhões de doses, à frente do México, que receberá 5,5 milhões, e da Argentina, com 1,9 milhão.

Na América do Sul, depois do Brasil, aparecem Peru, com 1,2 milhão, Chile, com 818 mil, Equador, com 756 mil, Bolívia, com 672 mil, Paraguai, com 304 mil, e Uruguai, com 148 mil.

A Venezuela não figura na lista de distribuição divulgada hoje porque “os dados não estão muito claros”, afirmou o diretor-executivo do GAVI, Seth Berkley, que assegurou, no entanto, a entrega dos imunizantes ao país.

O programa Covax tem como meta distribuir, pelo menos, 2 bilhões de doses de vacina contra o novo coronavírus, sendo que 1,3 bilhão serão destinados aos países mais pobres do planeta.

Fazem parte da iniciativa 190 nações, sendo que mais de uma centena colaboraram financeiramente com ela. Enquanto isso, as 90 economias mais frágeis do planeta não precisarão pagar pelos agentes imunizantes que receberão, como é o caso da Bolívia, por exemplo.

As primeiras vacinas enviadas foram as da AstraZeneca, a maioria fabricadas pelo Instituto Serum, na Índia. Até maio, no entanto, serão enviadas 1,2 milhão de doses do agente imunizante da Pfizer/BioNTech.

Berkley ainda confirmou que cooperarão com o Covax as companhias Johnson & Johnson, que doará 500 milhões de doses, e Novavax, que assinou um acordo de intenções no total de 1,1 bilhão de doses.

Na lista inicial de países beneficiados publicada hoje, não constam importantes produtores de vacinas, como Estados Unidos, Reino Unido, China ou Rússia, nem integrantes da União Europeia, que contribuíram com o programa de distribuição.

As nações desenvolvidas optaram por atrasar voluntariamente o recebimento de doses, por terem assinado contratos de compra diretamente com companhias farmacêuticas. Assim, o Covax destinará as vacinas às nações mais pobres que não conseguiram adquirir o suficiente para imunização da população.

*EFE

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();