Sul-africano atravessa o Atlântico em barco a remo e chega ao Rio



Zirk Botha saiu da África do Sul em dezembro de 2020 e chegou neste domingo (28) a Cabo Frio, no Rio de Janeiro

O sul-africano Zirk Botha, de 59 anos, passou 70 dias remando no Oceano Atlântico e chegou a Cabo Frio, no Rio de Janeiro, neste domingo (28). A travessia começou em 19 de dezembro do ano passado, quando Zirk partiu da Cidade do Cabo, capital da África do Sul, rumo ao Rio. Ele remou 7.200 quilômetros até chegar ao litoral brasileiro e conseguiu bater o recorde dessa travessia, que é de 92 dias.

Remando em nome do planeta e de uma vida mais sustentável, Zirk, que é ex-oficial naval, cruzou o oceano sozinho a bordo do barco 'Ratel'. Depois de dias de travessia, ele chegou a Búzios no sábado (27) e após um breve descansou remou até Cabo Frio para receber as boas-vindas no Iate Clube do Rio de Janeiro.

Sem salva-vidas

O empenho de Zirk impressiona: ele completou a travessia sozinho e sem nenhum tipo de acompanhamento de emergência, e ainda conseguiu quebrar o recorde, conseguido anteriormente pela dupla Wayne Robertson e Braam Malherbe, que percorreu uma rota similar em 92 dias, em 2017.

O brasileiro Amyr Klink, conhecido pelas aventuras no mar, também cruzou o Atlântico sozinho, em 1984, seguindo uma rota ligeiramente diferente e mais curta, da Namíbia para a Bahia, em 100 dias.

Assim que pisou fora do Ratel, em solo brasileiro, depois de tanto tempo em alto mar, Zirk afirmou que sentia suas pernas um pouco bambas e estava muito emocionado e impactado pela aventura.

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();