Procon de SP diz que não vai fiscalizar postos de gasolina que não informarem ICMS, presidente do procon é investigado na máfia da merenda



Diretor-executivo afirma que só vai tomar qualquer medida se houver entendimento da Procuradoria-Geral do Estado

O diretor-executivo do Procon de São Paulo, Fernando Capez, afirma que não vai fiscalizar postos de gasolina por não informarem a composição dos preços de combustível.

Decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro nesta terça-feira (23) obriga estabelecimentos a fixar um painel, em local visível, com os valores estimados do ICMS e de tributos federais que incidem no preço final.

LEIA TAMBÉM: Justiça atende pedido do PSOL e proíbe tratamento precoce contra covid-19 em Porto Alegre

NA PARAÍBA, A CADA R$ 100 DE GASOLINA, VOCÊ PAGA R$ 42,45 SOMENTE DE IMPOSTOS

ENQUETE: VOCÊ É A FAVOR DO IMPEACHTMENT DO MINISTRO ALEXANDRE DE MORAIS DO STF? VOTE E COMPARTILHE!

A Secretaria Nacional do Consumidor, vinculada ao Ministério da Justiça, reuniu Procons para definir estratégias para monitorar o cumprimento do ato.

Capez diz ao Painel que só vai tomar qualquer tipo de medida se a Procuradoria-Geral do Estado de São Paulo entender que o decreto é legal.

"Nós fiscalizamos práticas abusivas. Não vou sair por aí interpretando. Não vou multar posto por não mostrar o valor do ICMS. A gente só fiscaliza o que tem no Código do Consumidor. Há dúvidas se um decreto pode ampliar as práticas abusivas. Sem um parecer da Procuradoria-Geral do Estado, o Procon-SP não vai fazer nada”, diz o chefe do órgão.

De acordo com a Secretaria-Geral da presidência, o objetivo é que os consumidores tenham "mais clareza dos elementos que resultam no preço final".

“O decreto reforça princípio basilar do Código, que é a transparência”, afirma Juliana Domingues, que comanda a Secretaria Nacional do Consumidor.


FERNANDO CAPEZ PRESIDENTE DO PROCON DE SÃO PAULO é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, Fernando Capez foi o escolhido pelo governador eleito de São Paulo, João Doria para comandar o Procon estadual.

Capez é ex-presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, envolvido no esquema que ficou conhecido como Máfia da Merenda. “Vai comandar o Procon no nosso governo. Resposta clara e objetiva. Já foi convidado, já aceitou, e será o presidente do Procon”, disse Doria.

A operação Alba Branca apurou desvios e fraudes na compra de suco para a merenda escolar em São Paulo. Organizada pela Polícia Civil e pelo Ministério Público estadual as investigações vieram a público em Janeiro de 2016, quando a Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar (Coaf) acusou políticos de receber propina para liberar contratos com o governo e municípios.

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();