Juíza que mandou prender Crivella terá que explicar postagem anti-Bolsonaro



Desembargadora Rosa Helena Macedo Guita publicou charge de presidente com procurador-geral da República preso por coleira

A desembargadora Rosa Helena Macedo Guita, do TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), terá de explicar ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça) uma publicação que fez em uma rede social contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o procurador-geral da República, Augusto Aras.

A informação é do jornalista Alcemo Gois, do jornal O Globo.

LEIA TAMBÉM: STF julgará se queixa por injúria e difamação de ex-mulher de Lira irá à Vara de Violência Doméstica

Governo Bolsonaro antecipa pagamento do abono salarial do PIS/Pasep; veja as novas datas

STF tenta intimidar Lira e diz que Bia Kicis na CCJ será declaração de guerra à Corte; Bia Kicis é autora da PEC da Bengala que se aprovada irá aposentar 3 Ministros do STF

Na postagem, a desembargadora colocou uma charge de Bolsonaro segurando Aras por uma coleira. Guita foi a juiza que ordenou a prisão de Marcelo Crivella, ex-prefeito do Rio de Janeiro, a nove dias do fim do mandato no final de 2020.

O pedido para justificar o post na rede social partiu da corregedora nacional de Justiça, a ministra do STJ (Supreior Tribunal de Justiça) e professora da USP (Universidade de São Paulo) Maria Thereza de Assis Moura.

A ministra atendeu a um pedido do advogado Luis Eduardo Salles Nobre e, no pedido, afirma que a desembargadora fez uma manifestação que simboliza opinião "maliciosa e tendenciosa" contra Bolsonaro e Aras.

Rosa Helena Macedo Guita tem prazo de 15 dias para justificar sua posição sobre o caso.

FONTE:  R7.COM

Um comentário:

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();